Leia também:
X Todxs… PL que veta a linguagem neutra nas escolas avança

Polícia do DF prende grupo que incentiva suicídio nas redes

Prisão ocorre após jovem de 19 anos tirar a própria vida

Gabriela Doria - 30/09/2021 15h03 | atualizado em 30/09/2021 15h42

Grupo é investigado por incentivar suicídio nas redes sociais Foto: Reprodução/PCDF

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou operação para prender um grupo que estimulava o suicídio em grupos nas redes sociais e aplicativos de mensagem. Quatro pessoas foram presas.

De acordo com nota divulgada pela Polícia Civil, foram cumpridos, na quarta-feira (29), mandados de busca e apreensão em endereços em Goiânia (GO), Aparecida de Goiânia (GO), São Paulo (SP), São Roque (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Os policiais realizaram a prisão preventiva dos suspeitos, que foram indiciados.

A ação policial aconteceu após uma jovem de 19 anos, que morava em Paranoá, Brasília (DF), ter cometido suicídio. Segundo as apurações dos agentes de segurança, a vítima foi induzida a tirar a própria vida por participantes de um grupo na internet.

A vítima chegou a pedir socorro aos pais, após ter ingerido uma substância. Ela foi socorrida em um hospital da região Leste da cidade, mas não resistiu, segundo informações do delegado Ricardo Viana, responsável pela operação.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a investigação indica que os integrantes do grupo “associaram-se virtualmente, de forma estável e permanente, para instigar e auxiliar pessoas suscetíveis à prática do autoextermínio”.

*AE

Leia também1 Governo de PE impõe passaporte sanitário para entrar em igrejas
2 Lula admite que "o PT não presta em algumas coisas". Assista!
3 Menina é assassinada, e suspeito é linchado e morto por vizinhos
4 Acidente entre caminhão, ônibus e van deixa 12 mortos na Bahia
5 Homem é preso por estuprar enteada e filha que teve com ela

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.