Leia também:
X Bolsonaro discursa no início do ano legislativo e alfineta o PT

PF investiga venda de dados de Bolsonaro e outras autoridades

Megavazamento de informações pessoais atingiu desde autoridades nacionais a beneficiários do Bolsa Família

Pleno.News - 03/02/2021 16h45 | atualizado em 03/02/2021 17h38

Polícia Federal irá investigar venda de dados pessoais de autoridades Foto: Reprodução

A Polícia Federal abriu uma frente de investigação para apurar a venda online de dados de autoridades, obtidos no megavazamento de 223 milhões de CPFs. A comercialização das informações foi revelada pelo Estadão.

Na segunda-feira (1º), o presidente Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, pediu providências ao ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça. Isso porque o vazamento afetou os onze integrantes do tribunal. A pasta confirmou que as medidas estão sendo adotadas pela PF.

Foram parar na internet informações como nome, endereço, renda, imposto de renda, fotos, participantes do Bolsa Família, scores de crédito e outros dados compilados em agosto de 2019. Além dos onze ministros do STF, também foram atingidos pelo vazamento de dados o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ex-presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Como mostra a reportagem de Bruno Romani, o hacker está oferecendo informações em 37 categorias, vendidas em pacotes a partir de 500 dólares (R$ 2.680). Entre os ministros do Supremo, Ricardo Lewandowski é o mais afetado, com dados em 26 delas. Todos os outros também têm informações em mais de 20 categorias: Fux (23), Dias Toffoli (25), Luiz Roberto Barroso (25), Alexandre de Moraes (24), Gilmar Mendes (24), Rosa Weber (23), Kassio Nunes Marques (23), Edson Fachin (22), Cármen Lúcia (21) e Marco Aurélio Mello (21).

Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes, por exemplo, têm dados de PIS, renda e salário. Já Rosa Weber tem à venda dados referentes ao imposto de renda de 2017.

Até aqui, a origem do vazamento é desconhecida. Há indícios de que as informações pertençam à base de dados do Serasa.

*Estadão

Leia também1 Dados de Bolsonaro e ministros do STF estão à venda na internet
2 Página mostra quem teve dados expostos em vazamento de CPFs
3 Alerta! Vazamento de dados de brasileiros inclui salários e fotos
4 Vazamento expõe dados pessoais de 220 milhões de brasileiros
5 STF quer investigação sobre venda de dados de ministros

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.