Leia também:
X Estudante picado por naja é preso no Distrito Federal

PF faz operação contra tráfico de armas em oito estados

Armamento era importado ilegalmente do Paraguai e encaminhado para diversos lugares do Brasil

Paulo Moura - 29/07/2020 08h08

Investigação apontou que armas eram transportadas ilegalmente a partir do Paraguai Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) realiza na manhã desta quarta-feira (29) uma operação contra o tráfico internacional de armas em oito estados. Batizada de “Mercado das Armas”, a ação é baseada em uma investigação que indicou que armas eram importadas ilegalmente do Paraguai e distribuídas pelo Brasil.

Ao todo, 25 mandados de busca e apreensão e um de prisão são cumpridos nos estados do Paraná, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. Os mandados foram autorizados pela 13ª Vara Federal de Curitiba.

A polícia informou que a operação foi deflagrada após armas serem apreendidas escondidas em meio a equipamentos eletrônicos, como rádios, panelas elétricas e climatizadores, cujos transportes eram feitos pelos Correios e transportadoras privadas.

Segundo as investigações, as armas entravam no Brasil com a ajuda de atravessadores paraguaios e, além delas, os suspeitos também importavam peças de pistolas airsoft que eram adaptadas e transformadas em submetralhadoras reais.

Outra irregularidade apontada pelas autoridades é que a importação dos itens acontecia também sem os certificados necessários, e eles eram vendidos por plataformas virtuais sem o fornecimento de notas fiscais. Os alvos dos mandados são investigados por tráfico internacional de armas de fogo e acessórios, associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e lavagem de dinheiro.

Leia também1 Estudante picado por naja é preso no Distrito Federal
2 Damares revela que encontrou duas vítimas de seu abusador
3 Médica que salvou 350 pessoas apela por uso da cloroquina
4 Internet intensifica boicote com #EuNaoComproNatura
5 LGBTs pressionam e banco fecha conta de entidade cristã

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.