Osteoporose: Saiba quais fatores influenciam a doença

Segundo a Organização Mundial da Saúde, 10 milhões de brasileiros sofrem com o problema

Pleno.News - 19/10/2017 21h31

20 de outubro é o Dia Mundial da Osteoporose. A data tem como principal objetivo a prevenção e o combate à doença. Caracteriza pelo enfraquecimento da estrutura óssea, a osteoporose é resultado da gradual perda de cálcio e deficiência da vitamina D. É a principal doença óssea metabólica e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), atinge cerca de 10 milhões de brasileiros. Embora esteja intimamente ligada ao envelhecimento, há outros fatores que podem contribuir de forma significativa para o surgimento da doença. Confira a lista que o Pleno.News separou para você!

Idosos estão mais propensos a desenvolver a osteoporose Foto: Pixabay

Degeneração natural: Com o passar do tempo, os ossos diminuem sua capacidade de absorção de minerais e cálcio. Em consequência, os ossos perdem a densidade e ficam porosos, o que os torna mais frágeis aos impactos.

Deficiência de cálcio: A ingestão adequada de cálcio é fundamental para que a doença não se desenvolva. O cálcio é um mineral essencial na formação dos ossos. Portanto, se a quantidade ingerida for insuficiente, pode acarretar na fragilização dos ossos.

Falta de vitamina D: Também conhecida como “vitamina do sol”, ela auxilia o organismo a absorver o cálcio. Para tanto, recomenda-se a exposição solar por, pelo menos, 15 minutos ao dia. Isto e a ingestão natural através dos alimentos, já seriam o suficiente para o acúmulo correto da vitamina.

Tabagismo e Alcoolismo: As substâncias presentes no cigarro e nas bebidas alcoólicas prejudicam o estoque de cálcio no corpo humano e reduzem a eficiência das células construtoras dos ossos.

Menopausa: A drástica redução de estrogênio no corpo feminino impacta diretamente na reabsorção de cálcio pelos ossos, além de ser responsável por ajudar a fixar o mineral nos ossos. Quando há a interrupção do ciclo menstrual, a estrutura esquelética fica mais frágil. As mulheres têm, ainda, uma natural tendência a ter ossos mais finos do que os homens.

Histórico familiar: Embora não seja hereditária, fatores genéticos podem influenciar na capacidade de absorção de vitamina D. É preciso, portanto, ficar atento aos possíveis casos de osteoporose na família, pois a tendência pode ser transmitida de pais para filhos.

Sedentarismo: Pessoas com maus hábitos alimentares e que não fazem exercício físico estão propensas a adquirir osteoporose. Neste caso, o sistema musculoesquelético fica enfraquecido e com maior tendência de perda óssea.

Distúrbios da Tireóide: Os hormônios da tireóide são diretamente responsáveis pelo metabolismo das células. Desta forma, influenciam também na fixação e reabsorção do cálcio pelo organismo. Quando os hormônios estão desregulados, a interação entre os minerais e os ossos é afetada.