Leia também:
X Governo libera R$ 6,6 bi para compra de vacinas da Pfizer

Operação em favela do Rio foi a mais letal da história do estado

Incursão policial no Jacarezinho deixou 25 pessoas mortas

Pleno.News - 06/05/2021 18h02

Operação policial deixou 25 pessoas mortas Foto: EFE/André Coelho

A operação policial na favela do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (6), que deixou 25 pessoas mortas, incluindo um policial civil, é a mais letal da história do estado fluminense. Os dados são do Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da Universidade Federal Fluminense (Geni-UFF).

A incursão da Polícia Civil ocorreu para apurar o suposto aliciamento de menores e o sequestro de trens da SuperVia pela maior facção do tráfico no Estado, o Comando Vermelho.

A corporação alega que, entre os mortos, a maioria era suspeita de integrar o tráfico, mas ainda não apresentou detalhes. Um policial morreu durante a ação: o agente André Frias, que integrava a Delegacia de Combate às Drogas, foi baleado na cabeça. Ele chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

Batizada de Operação Exceptis, a empreitada começou logo cedo, pouco depois das 6h, quando moradores já relatavam a presença de helicópteros sobrevoando a região e de intensa troca de tiros. Além dos mortos, houve feridos – inclusive dentro da estação de metrô de Triagem, da linha 2.

Em nota, a Defensoria Pública do Rio informou que “está acompanhando com muita atenção” os desdobramentos da operação desta manhã e que está na comunidade.

– Neste momento, a instituição está no local, por meio de sua Ouvidoria e do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos, ouvindo os moradores e apurando as circunstâncias da operação, a fim de avaliar as medidas individuais e coletivas a serem adotadas. Desde já, manifestamos nosso pesar e solidariedade aos familiares de todas as vítimas de mais essa tragédia a acometer nosso estado – disse o comunicado.

POLÍCIA CAÇA TRAFICANTES POR ROUBOS E SEQUESTROS
Segundo a Polícia Civil, traficantes estão aliciando crianças e adolescentes para integrar a facção. Os criminosos, diz a corporação, exploram tráfico de drogas, roubo de cargas e de pessoas, além de homicídios e sequestros de trens da SuperVia, prática que ocorreu em dois momentos recentes, em dezembro de 2020 e no mês passado.

A ação é coordenada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), com apoio de outras unidades do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE).

Segundo um estudo divulgado no mês passado pelo Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da Universidade Federal Fluminense (GENI/UFF), as operações policiais no Rio de 2007 a 2020 têm apenas 1,7% de eficiência. O índice foi criado considerando, por exemplo, o que embasou a operação – se houve autorização judicial -, o número de apreensões e a quantidade de mortos. Boa operação seria aquela embasada pela Justiça, com muitas apreensões e poucas mortes.

*Estadão

Leia também1 Gregorio chama operação no Rio com suspeitos mortos de 'chacina'
2 Saiba quem é o policial civil morto durante operação no RJ
3 Número de mortos em operação policial no RJ aumenta para 25
4 No Pará, pai e amigo são presos por estupro de bebê de 1 ano
5 São Paulo também pode ter sua "CPI da Pandemia". Saiba mais!

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.