Leia também:
X Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas na Amazônia

General diz que não há razão Brasil se sentir ameaçado

Militar se referiu ao discurso do presidente francês, Emmanuel Macron

Gabriela Doria - 23/08/2019 19h17 | atualizado em 23/08/2019 21h59

General de Exército Edson Leal Pujol Foto: PR/Marcos Corrêa

No momento em que o governo brasileiro está sob forte ataque internacional por causa das queimadas na Amazônia, o comandante do Exército, general Edson Leal Pujol, afirmou nesta sexta-feira (23) que não há motivos para o Brasil se sentir ameaçado.

A declaração acontece um dia depois de o ex-comandante do Exército e assessor do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Eduardo Villas Bôas, ter identificado nas falas do presidente francês Emmanuel Macron uma ameaça de guerra.

– A França é um país de tradição de liberdade e de democracia. Certamente não há motivo para nós nos sentirmos ameaçados – disse Pujol, após participar de sessão solene na Câmara.

Macron disse nesta quinta (22) que os incêndios na floresta geraram uma “crise internacional”. Em uma rede social, o presidente francês se referiu à Amazônia como “nossa casa” e disse que discutirá o caso no G7 (grupo que reúne Alemanha, Canadá, França, Estados Unidos, Itália, Japão e Reino Unido).

– Para que um país entre em um conflito armado tem que haver uma razão muito forte e tem que ter aceitação da sociedade, do Congresso. A sociedade tem que ver alguma razão para chegarmos a esse extremo de um conflito armado. Não basta um mandatário de uma nação querer – afirmou Pujol.

Mais cedo, no entanto, o comandante do Exército afirmou que os soldados brasileiros estão prontos para repelir qualquer tipo de ameaça.

– Aos incautos que insistem em tutelar os desígnios da brasileira Amazônia, não se enganem. Os soldados do Exército de Caxias estarão sempre atentos e vigilantes, prontos para defender e repelir qualquer tipo de ameaça – disse durante cerimônia do Dia do Soldado.

Na Câmara, Pujol disse que o papel das Forças Armadas é “defender a integridade territorial, a soberania, a nossa liberdade, a nossa democracia”.

O presidente Jair Bolsonaro assinou na tarde desta sexta um decreto autorizando o emprego das Forças Armadas para realizar a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Amazônia, no levantamento e combate a focos de incêndio. O ato foi publicado em edição extra do Diário Oficial.

*Folhapress

Leia também1 Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas na Amazônia
2 Carlos critica brasileiros que não apoiam interesse do país
3 Macron potencializa o ódio contra o Brasil, diz Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.