Leia também:
X Em vídeo, irmãos Weintraub mostram como seria um Brasil comunista

MP de SP recomenda uso de ‘força’ para impedir PMs em atos

Procurador de Justiça enviou ofício com orientações à Secretaria de Segurança Pública

Gabriela Doria - 05/09/2021 08h25 | atualizado em 05/09/2021 08h26

MPSP recomenda uso de “força” para impedir participação de PMs nos atos pró-Bolsonaro Foto: Divulgação/Governo do Estado de SP

O procurador-geral de Justiça do estado de São Paulo, Mario Sarrubbo, fez um série de recomendações à Secretaria de Segurança Pública do estado para prevenir a participação de policiais militares nas manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro, marcadas para o dia 7 de setembro. Sarrubbo sugeriu até o uso de “força” para impedir a presença dos agentes nos protestos.

Em um ofício enviado ao governo de São Paulo, o chefe do MPSP alega que o “ordenamento jurídico repudia a ação de grupos armados, civis ou militares, que se reúnam com o objetivo de promover a ruptura da ordem constitucional vigente, concebendo tais práticas como crimes inafiançáveis e imprescritíveis”.

Para o procurador, é de interesse do Ministério Público Militar “prevenir comportamentos ilegais, bem como assegurar a tranquilidade à coletividade com relação a ordem pública e social, bem como a preservação dos lastros rochosos de Hierarquia e Disciplina que dão sustentação às forças militares auxiliares do Estado”.

Espera-se que o movimento pró-governo na capital paulista seja um dos maiores do país. Jair Bolsonaro já confirmou que estará na avenida Paulista, onde ele estima que irão comparecer cerca de 2 milhões de apoiadores.

Leia também1 Bolsonaro manda aviso ao STF: "Com a nossa liberdade não"
2 Local da facada deve ter roda de orações em 7 de Setembro
3 Mandetta ironiza atos do dia 7: ‘Defender fome e desemprego?’
4 Zé Trovão 'peita' Moraes e desafia: "Vem me prender na Paulista"
5 General Chagas 'alerta' sobre o dia 7 e compara Bolsonaro a Lula

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.