Leia também:
X Irmão de Weintraub deixa cargo no governo e vai para a OEA

Ministro promete “valorizar” professores e discutir salários

Milton Ribeiro disse que a classe merece atenção

Gabriela Doria - 15/09/2020 15h06 | atualizado em 15/09/2020 15h07

Ministro da Educação Milton Ribeiro quer valorizar professores Foto: Divulgação/Naiara Demarco

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, sinalizou, nesta terça-feira (15), que irá discutir o reajuste salarial de professor em outubro. Na avaliação de Ribeiro, educadores merecem mais valorização.

Em tom conciliador, o ministro afirmou que “o governo Bolsonaro não é dono da verdade” e que o MEC está aberto à participação de docentes.

– Eu gostaria muito de mudar o eixo da atenção do MEC. Agora, eu gostaria de dar uma atenção aos professores. Um professor bom, embaixo de uma árvore, impacta a vida de um aluno. Precisamos valorizá-los. Vamos olhar com um pouco mais de carinho – disse o ministro.

O chefe do MEC também elogiou a escolha técnica de Bolsonaro por seu nome e afirmou que a pasta não abandonará “valores e princípios”.

– Eu quero dizer que tenho admiração pela escolha do senhor presidente da República sobre a minha pessoa. Sou um gestor. Mas quando ele me escolhe, ele faz uma opção que tem muita coerência com o que ele fala na teoria: que ele não iria lotear os ministérios. […] Nós temos uma linha, um propósito em relação à educação e a valores e princípios. Isso deve prevalecer. Estou comprometido com esses valores, mas acredito que cada um dos educadores tem uma contribuição e pode nos ajudar. Vamos ouvi-los. É isso que nós queremos. Vamos caminhar nesse propósito – garantiu o ministro.

CRESCIMENTO DO ENSINO MÉDIO NO IDEB
Estagnado há anos, o ensino médio do País teve o maior crescimento da história no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) registrado em 2019, antes da pandemia do novo coronavírus. O Ideb é o principal medidor de qualidade da educação no Brasil. Por outro lado, o desempenho das crianças de 1º ao 5º ano do ensino fundamental desacelerou e aumentou só 0,1, o menor avanço desde 2005, quando houve a primeira medição. Esses dados, que consideram as redes pública e privada de ensino, saem a cada dois anos e foram divulgados nesta terça-feira, 15, pelo Ministério da Educação (MEC).

Leia também1 Ensino médio avança e alcança resultado inédito no Ideb de 2019
2 "Cartão vermelho de Bolsonaro não foi para mim", diz Guedes
3 Irmão de Weintraub deixa cargo no governo e vai para a OEA
4 Bancada evangélica garante que derrubará veto de Bolsonaro
5 Ex-diretor da Globo diz que Bolsonaro é contra a democracia

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.