Leia também:
X Operação Nero prende o quarto suspeito de depredar Brasília

Ministro da Justiça critica Flávio Dino: “Vai virar vidraça”

Anderson Torres diz que os pedidos feitos pela equipe de transição não são responsabilidades da pasta, mas do governo do DF

Leiliane Lopes - 29/12/2022 16h32 | atualizado em 29/12/2022 16h57

Ministro da Justiça, Anderson Torres Foto: Tom Costa / MJSP

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, foi atacado pelo futuro ministro da pasta, Flávio Dino. Torres respondeu dizendo que, a partir de domingo, será o ex-governador do Maranhão que será alvo de críticas.

– Ele vive um momento de pedra. Dia 1º o jogo vira e ele passa a ser vidraça – afirmou Torres durante uma entrevista ao Metrópoles.

Dino critica Torres por não tomar uma atitude sobre reforçar a segurança para a posse de Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda por não impedir que grupos contrários à posse reproduzam os ataques registrados no dia 12 de dezembro, quando a sede da Polícia Federal quase foi invadida e alguns veículos foram incendiados.

O atual ministro diz que as exigências feitas pela equipe de transição não são responsabilidade do ministério da Justiça, mas sim, da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

– Os órgãos federais estão envolvidos de acordo com a sua atribuição. Estamos atendendo a todos os pedidos da equipe de transição. Segurança pública não é uma ciência exata, mas acredito em uma posse tranquila e segura. Qualquer fato que ocorra, temos certeza de que as forças estão preparadas – pontuou.

Leia também1 Futuro ministro da Pesca votou a favor do impeachment de Dilma
2 Tebet diz ser dupla de Haddad: "Não tem como dar errado"
3 Público da posse terá que chegar cedo e passar por revista
4 Mulher de ativista preso chora: "Xandão veio atrás da gente"
5 Feliciano critica mídia calada diante dos 37 ministérios do PT

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.