Leia também:
X PGR quer que Bolsonaro seja investigado por incitar crimes

Manifestante diz que portas do STF pareciam estar abertas

O homem que levou a cópia da Constituição Federal prestou depoimento na PF de Varginha e foi liberado

Leiliane Lopes - 13/01/2023 19h35 | atualizado em 16/01/2023 13h16

O manifestante diz que salvou o livro de vândalos que queriam rasgá-lo Foto: Reprodução

O homem que devolveu o exemplar da Constituição Federal que foi roubado do Supremo Tribunal Federal (STF), no último domingo (8), declarou para a Polícia Federal de Varginha, em Minas Gerais, que o prédio parecia estar aberto para que os manifestantes entrassem.

Marcelo Fernandes Lima disse que as portas da sede do STF não estavam quebradas ou arrombadas. O depoimento foi divulgado pelos sites G1 e CNN.

Em parte do depoimento, Lima disse que todos os manifestantes estavam no Quartel-General do Exército e resolveram ir até a Praça dos Três Poderes para fazer “um abraço humano” em volta dos prédios. A intenção não era invadir, segundo ele.

Até que alguns manifestantes perderam o controle, furaram a barreira de segurança e invadiram o perímetro de segurança e os prédios públicos.

O homem chegou a entrar no prédio do STF e, segundo ele, a Constituição de 1988 que ele levou para casa foi um ato de salvar o exemplar que seria destruído por outros manifestantes.

– Eu peguei para depois devolver. Porque a índole da minha mãe… O que eu pegar e não for meu eu tenho que devolver, foi assim que eu aprendi – disse ele que foi liberado depois de ser ouvido pela PF.

Leia também1 Intervenção no DF não deve ser prorrogada, aponta Flávio Dino
2 Governo Lula indica senador do PT para presidir a Petrobras
3 Vigilante do STF é um dos presos por ações extremistas no DF
4 Torres: Minuta pedia quebra de sigilo dos ministros do TSE
5 Maduro propõe a Lula criar bloco político aliado à Rússia e China

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.