Leia também:
X CNJ dá 15 dias para Moro explicar delação de Palocci

Justiça de MG aceita denúncia contra o agressor de Bolsonaro

MPF acusou Adélio Bispo de praticar um "atentado pessoal por inconformismo político"

Henrique Gimenes - 04/10/2018 18h49 | atualizado em 05/10/2018 16h58

Adelio Bispo de Oliveira Foto: Reprodução

A Justiça de Minas Gerais aceitou, nesta quinta-feira (4), a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra Adélio Bispo, responsável por esfaquear Jair Bolsonaro. A decisão é do juiz da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora (MG), Bruno Savino.

De acordo com o MPF, o agressor praticou um “atentado pessoal por inconformismo político” contra o candidato do PSL à Presidência da República. Jair Bolsonaro foi esfaqueado na barriga durante um evento de campanha no dia 6 em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele precisou ser operado em uma unidade de saúde na cidade e depois foi transferido para o hospital Albert Einsten em São Paulo. Adélio foi preso no mesmo dia.

Em sua decisão, o magistrado afirmou que “há justa causa para o exercício da ação penal, isto é, lastro proboíório mínimo indispensável para a instauração de um processo penal, dada a prova da materialidade e indícios robustos de autoria do cometimento do delito”.

A denúncia foi apresentada com base na Lei de Segurança Nacional e aponta que o agressor “perpetrou a conduta por motivação política e com o objetivo de excluir a vítima da disputa eleitoral. Como consequência, lesionou o regime representativo e democrático”.

A pena de Adélio pode variar entre três e 10 anos de prisão, com possibilidade de ser dobrada devido à lesão corporal grave.

Leia também1 Frente evangélica irá apoiar Jair Bolsonaro no Congresso
2 Propagandas de Fernando Haddad atacam Jair Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.