Leia também:
X Bolsonaro alfineta João Doria: “Vi a transposição do Tietê”

Irajá Abreu fará mestrado de R$ 73 mil bancado pelo Senado

Senador de 38 anos é filho de Kátia Abreu

Gabriela Doria - 02/02/2022 18h42 | atualizado em 02/02/2022 18h46

Senador Irajá Abreu fará curso de mestrado bancado pelos cofres públicos Foto: Agência Senado/Geraldo Magela

O senador Irajá Abreu (PSD-TO), filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO), fará um curso de mestrado em Administração Pública pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP), custeado pelo Senado Federal. A entidade, fundada pelo ministro Gilmar Mendes, receberá R$ 73,7 mil dos cofres públicos pelo curso.

Uma cópia do contrato foi publicada no Diário Oficial da União na última segunda-feira (31). Irajá tem 38 anos e está no primeiro mandato como senador.

Questionado pelo site O Antagonista, o parlamentar, que tem salário de R$ 33,7 mil, afirmou que o mestrado faz parte da “política do Senado de qualificar e capacitar seu quadro de servidores e parlamentares”.

– Assim como em empresas privadas, entidades e órgãos federais, faz parte da política do Senado Federal qualificar, capacitar e reciclar com cursos e treinamentos o seu quadro de técnicos, servidores e de parlamentares em cursos de interesse da administração pública, com o objetivo de aprimorar a qualidade dos serviços prestados à sociedade, conforme prevê a Lei 8.112/90. O mestrado que o senador está fazendo se encaixa nesse quesito e atende a todas as exigências do Senado Federal – diz a nota oficial.

Leia também1 Por eleições, Mayra Pinheiro e Cel. Aginaldo se filiam ao PL
2 Lista de prioridades do governo deve incluir maioridade penal
3 No Congresso, Bolsonaro se opõe a Lula sobre 'controlar a mídia'
4 Anastasia assume cargo vitalício no TCU, com salário de R$ 37 mil
5 Queiroga: Quero ser o ministro que acabou com a pandemia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.