Leia também:
X Fiuza detona união de Alckmin e Lula: “Ajuntamento vergonhoso”

Fiéis aplaudem retorno de padre Robson mesmo após escândalos

Publicação rompeu o silêncio que já durava 16 meses nas redes sociais do padre

Pierre Borges - 21/12/2021 16h33 | atualizado em 21/12/2021 16h43

Publicação do Padre Robson
Segundo levantamento, 84% dos internautas apoiam ou defendem o religioso Foto: Reprodução/Instagram

Mesmo sendo investigado por suposto desvio de R$ 120 milhões do dinheiro doado por fiéis e tendo até um pedido de prisão feito pela Polícia Federal ao STJ, o padre Robson de Oliveira Pereira, de 47 anos, foi bem recebido por seus seguidores nas redes sociais.

O padre rompeu, nesta segunda-feira (20), o silêncio que começou há 16 meses em suas redes sociais. No Instagram, até o momento desta publicação, foram registrados 13,3 mil curtidas na postagem, além de 1.783 comentários de maioria favorável ao sacerdote católico.

Já no Facebook, havia quase 2 mil reações entre curtidas e amei, além de 83 compartilhamentos e 384 comentários, sendo a maioria também favorável ao padre.

De acordo com um levantamento do Metrópoles, cerca de 84% dos internautas comentaram que são favoráveis ao padre ou saíram em defesa do religioso; 8,6% são contrários a ele ou irônicos; e 1,5% são indefinidos.

A publicação que marca o retorno do padre fala sobre entender os desígnios de Deus e cita São José, protetor da Igreja Católica, padroeiro dos trabalhadores e das famílias.

A INVESTIGAÇÃO
No início do mês, após a divulgação de um áudio em que diz ser “chefe da quadrilha”, o padre Robson ingressou com um pedido no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para tentar censurar a divulgação da gravação. A declaração teve grande repercussão após ser divulgada pelo Jornal da Record, no dia 24 de novembro.

Além da investigação, atualmente trancada, sobre a suposta prática de desvio de dinheiro proveniente de doações de fiéis, o sacerdote pode se tornar alvo de uma outra investigação, que apura um suposto pagamento de propina a magistrados do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) que acataram recurso da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), instituição que foi presidida pelo padre.

Leia também1 Fiuza detona união de Alckmin e Lula: "Ajuntamento vergonhoso"
2 Auxílio Brasil: Beneficiários poderão fazer curso de MEI
3 Tiago Leifert se irrita com ator que chamou BBB de 'medíocre'
4 Putin: Rússia responderá com firmeza a passos ocidentais "hostis"
5 Assessoria de Zé Neto divulga estado de saúde do sertanejo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.