Leia também:
X CGU detalha despesas de R$ 2,3 milhões em ‘férias’ de Bolsonaro

Feliciano expõe contradições da chefe da Capes e cobra governo

Deputado divulgou textos da acadêmica com críticas a "regimes de força" da América Latina

Gabriela Doria - 20/04/2021 15h01 | atualizado em 20/04/2021 17h58

Deputado federal Marco Feliciano cobra exoneração da presidente da Capes Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP) expôs novas informações comprometedoras sobre a recém-nomeada presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Cláudia Mansani Queda de Toledo. Em seu Twitter, Feliciano resgatou um texto de Cláudia do fim de 2018, em que ela cita a “perigosa” ascensão de “regimes de força” sob a roupagem “democrática”.

– Em um momento em que os regimes de força, perigosamente ascendendo sob um viés democrático, são apontados como possível solução das crises que permeiam o dia a dia, o novo constitucionalismo da América Latina, materializado na sua copérnica visão da Pachamama, pode ser o instrumento decisivo de retomada, por parte do Brasil, dos ideais que levaram e desaguaram na Constituição Cidadã de 1988 – escreveu a acadêmica.

Para Feliciano, a expressão “regimes de força” é uma possível alusão à eleição do presidente Jair Bolsonaro.

– O texto foi escrito no final de 2018 – ano da eleição do presidente Jair Bolsonaro – pela Dra. Claudia de Toledo, nomeada para a CAPES pelo ministro Milton Ribeiro. Falta agora a “doutora” explicar a quais “regimes de força” se referia… – cobrou o deputado.

https://twitter.com/marcofeliciano/status/1384542989997981698

O deputado também comentou sobre as denúncias de plágio na tese de doutorado de Cláudia.

– Segundo a imprensa, a nova presidente esquerdista da Capes admitiu a cópia em vários trechos da sua dissertação de doutorado, mas negou plágio. Com essa capacidade retórica, podia ser ministra do STF! – ironizou.

Aliado de primeira ordem do presidente Bolsonaro, Feliciano também afastou a possibilidade de algum crise com o Palácio do Planalto.

– A todos que me perguntam: eu continuo acreditando no presidente Jair Bolsonaro! Continuo aguardando providências do ministro da Educação Milton Ribeiro sobre a nomeação de uma pessoa que defende o ensino da ideologia de gênero nas escolas para um dos maiores cargos do Ministério! – escreveu.

https://twitter.com/marcofeliciano/status/1384533566923681796

Leia também1 Dissertação de mestrado da nova presidente da Capes tem plágio
2 Feliciano denuncia esquerdismo da presidente da Capes
3 Parlamento da Polônia veta ideologia de gênero no país
4 Fiuza sobre educação no Brasil: "Centrais de panfletagem"
5 Tabata Amaral vota a favor de aulas presenciais e é 'detonada' pela esquerda

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.