Leia também:
X Telegram ‘se desculpa’ com o STF e pede que Moraes adie decisão

Excluir post de Bolsonaro é condição para Telegram voltar

Ministro Alexandre de Moraes listou série de medidas que aplicativo deve tomar para ser desbloqueado no Brasil

Pleno.News - 18/03/2022 21h10 | atualizado em 18/03/2022 21h17

Exclusão de post do presidente Jair Bolsonaro está na lista de determinações de Moraes Foto: PR/Isac Nóbrega

Para reverter a suspensão ‘completa e integral’ de seu funcionamento no Brasil, o Telegram vai ter que cumprir uma série de decisões proferidas pelo ministro Alexandre de Moraes. Entre os comandos está a determinação para exclusão de uma publicação do presidente Jair Bolsonaro que questiona as urnas eletrônicas com alegações falsas e sem provas sobre supostas fraudes. Há também despachos com relação às contas do jornalista Allan dos Santos.

A empresa ainda precisará pagar as multas diárias fixadas em cada uma das decisões não cumpridas e indicar, em juízo, qual sua representação oficial no Brasil. No caso de uma das decisões ligadas a Allan dos Santos, por exemplo, a multa diária foi fixada em R$ 100 mil. Em tal despacho, dado em 18 de fevereiro, o ministro do STF já havia ameaçado suspender o Telegram em caso de descumprimento. Na decisão em que cumpriu a promessa, suspendendo o funcionamento da plataforma no país, Alexandre ainda aumentou a multa diária imposta à plataforma, a partir de sua intimação, para R$ 500 mil.

As decisões descumpridas pelo Telegram foram listadas ao final do despacho de 18 páginas proferido pelo ministro nesta quinta-feira (17). No documento, Alexandre diz que a empresa deixou de atender aos comandos judiciais, ‘em total desprezo à Justiça brasileira’. O ministro argumentou que tal desrespeito e o reiterado descumprimento de inúmeras decisões ‘é circunstância completamente incompatível com a ordem constitucional vigente’ e contraria o Marco Legal da Internet.

O despacho que ordena a exclusão de uma postagem feita pelo perfil do presidente Jair Bolsonaro – ainda não cumprido pelo Telegram – foi proferido no âmbito do inquérito das fake news. No documento, o link listado por Alexandre remete à publicação em que o chefe do Executivo divulgou inquérito da Polícia Federal sobre um ataque hacker aos sistemas internos do Tribunal Superior Eleitoral, em 2018.

*Com informações da AE

Leia também1 Leia na íntegra decisão de Moraes que derrubou o Telegram
2 Telegram 'se desculpa' com o STF e pede que Moraes adie decisão
3 Moraes manda investigar quem vazou o 'bloqueio do Telegram'
4 Telegram: Anatel acata decisão de Moraes em 'caráter imediato'
5 Moraes cita Rede Globo em sua decisão sobre banir Telegram

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.