Leia também:
X Manifestantes atiram tomates em fotos de Gilmar e Toffoli

Esquerda caviar: Dilma viaja o mundo de primeira classe

Ex-presidente é campeã de gastos com viagens bancadas pelo povo

Gabriela Doria - 17/11/2019 19h34

Dilma Rousseff viaja de classe executiva pelo mundo Foto: Reprodução

A ex-presidente Dilma Rousseff foi alvo de inúmeras críticas após ser flagrada viajando em um voo de primeira classe. Em uma foto que circula nas redes sociais, a petista está deitada em uma cama luxuosa dentro de uma aeronave.

Um dos críticos ao caro “hábito” de Dilma foi o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan. Hang expôs a incoerência da petista, que prega o comunismo, mas viaja de classe executiva.

– Dilma viajando o mundo para dar as famosas palestras em “inglês, espanhol, alemão, etc”. Reunindo-se com esquerdopatas para falar mal do Brasil. Prega o comunismo, mas quando voa usa somente classe executiva ou primeira classe. Quem você acha que está pagando esta conta? – questionou o empresário.

OSTENTAÇÃO DE DINHEIRO PÚBLICO
Somente em 2018, a ex-presidente Dilma Rousseff gastou R$ 632 mil do dinheiro público com viagens para seus assessores. Este valor não inclui o salário dos assessores. A quantia é maior do que as despesas dos ex-presidentes José Sarney, Fernando Collor, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva juntas.

Além disso, Dilma usou R$ 45,4 mil para a manutenção e abastecimento dos veículos oficiais utilizados durante sua campanha ao Senado.

A ex-presidente também esbanjou dinheiro público mesmo em ano sem eleições. Em 2017, ela apresentou uma fatura de R$ 520 mil ao Palácio do Planalto, referente aos gastos somente com servidores.

A legislação prevê que os cinco últimos presidentes sejam beneficiados com verbas públicas, mesmo após o fim do mandato. Cada ex-chefe de Estado tem direito a oito assessores e dois carros oficiais. Os privilégios custam R$ 5,5 milhões ao ano para os cofres públicos.

Leia também1 Manifestantes atiram tomates em fotos de Gilmar e Toffoli
2 Governo prepara reforma administrativa profunda
3 PF quis prender Dilma, mas Edson Fachin negou pedido

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.