Leia também:
X “Ou nós salvamos a nossa nação ou ninguém salvará”

Empresário é denunciado por desvio na Saúde do RJ

Além de Mário Peixoto, outras 16 pessoas foram denunciadas na Operação Favorito

Ana Luiza Menezes - 19/06/2020 20h42 | atualizado em 19/06/2020 20h45

Empresário Mário Peixoto Foto: Reprodução

Nesta sexta-feira (19), a força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro denunciou o empresário Mário Peixoto, e outras 16 pessoas, por lavagem de dinheiro, pertinência a organização criminosa e obstrução à investigação, no âmbito da Operação Favorito. As informações são do portal UOL.

A Procuradoria informou que, desde 2012, Peixoto liderou um esquema de corrupção que causou danos de mais de meio bilhão de reais na Saúde do estado. Por meio de terceiros, ele comandava a contratação de organizações sociais e pessoas jurídicas no Estado do Rio de Janeiro.

O Ministério Público encontrou indícios de participação ou influência de Peixoto sobre a Organização Social IABAS, que foi contratada pelo governo do Rio de Janeiro implantação de hospitais de campanha durante a pandemia do novo coronavírus.

Além do empresário, os outros denunciados pela Lava jato foram Cassiano Luiz da Silva, Osvaldo Elias Neves de Paula, Zali Silva, Adelson Pereira da Silva, Matheus Ramos Mendes, Fábio Cardoso do Nascimento, Marcos Guilherme Rodrigues Borges, Gilson Carlos Rodrigues Paulino, Luiz Roberto Martins, Márcio Peixoto, Marco Antônio Peixoto, Juan Elias Neves de Paula, Vinícius Ferreira Peixoto, Paulo César Melo de Sá, Alessandro de Araújo Duarte e Andreia Cardoso do Nascimento.

No dia 14 de maio, a Operação Favorito foi iniciada, cumprindo mandados de prisão preventiva, apreensão e ordens de busca. Na mesma data, foram presos Peixoto e o ex-deputado estadual Paulo Melo.

Leia também1 Contratos de Helena pioram situação de Witzel, diz revista
2 RJ: Corrupção ataca economia e põe governadores na cadeia
3 Sup. da Saúde do RJ é preso por fraude com respiradores
4 Abertura de impeachment de Witzel é publicada no Diário
5 Covidão: 3,3 mil denúncias já atingem 12 estados e o DF

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.