Leia também:
X ‘Vacina de vento’: Técnica queria desviar dose, conclui polícia

Em carta a Xi Jinping, Lula e Dilma elogiaram atuação da China na pandemia

Ex-presidentes tentaram intervir a favor do Brasil pelo envio de vacinas

Gabriela Doria - 12/03/2021 22h53 | atualizado em 12/03/2021 22h55

Xi Jinping e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Foto: Reprodução

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, enviaram, em janeiro deste ano, uma carta ao presidente da China, Xi Jinping. Na ocasião, eles tentaram intermediar o envio de insumos para a produção de vacinas no Brasil, após o país asiático atrasar o envio do material. A informação é do jornal O Globo.

No comunicado, Lula e Dilma aproveitaram para elogiar a atuação da China na pandemia da Covid-19, mesmo após robustas evidências de que o gigante asiático omitiu informações que teriam sido fundamentais para diminuir o impacto do vírus no planeta.

– Já nos primeiros meses de crise mundial, a China, sob sua liderança, compartilhou informações epidemiológicas com mais de 170 países, forneceu assistência material a 150 nações e organismos internacionais, exportou dezenas de milhares de respiradores e bilhões de máscaras e trajes de proteção, ofereceu 2,5 bilhões de dólares ao longo de dois anos em ajuda a países em desenvolvimento e defendeu no G20 a suspensão do serviço da dívida externa dos países mais pobres – diz o texto.

Os ex-presidentes também apelam para a “amizade” entre as duas nações e teceram críticas ao presidente Jair Bolsonaro.

– Consideramos oportuna essa mensagem, como forma de manifestar a nossa certeza de que a antiga e sólida amizade entre os nossos povos não será abalada pelo negacionismo, pela incivilidade e pelas grosserias proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e seu governo. A amizade e a parceria entre a China e o Brasil são inabaláveis, porque os governos passam, mas os laços que unem os povos são permanentes – diz um trecho do documento.

O comunicado também dirige afagos ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, que já travou embates públicos com o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

– O embaixador da China no Brasil, seguidamente desafiado por provocações e manifestações desrespeitosas de nossos governantes, se esforça como pode para preservar as boas relações entre nossos países – afirmam os petistas.

Lula e Dilma também lembraram da “grande amizade” entre Brasil e China e colocaram os laços em evidência para tentar garantir insumos da vacina ao Brasil.

– Temos certeza de que, em nome desta grande amizade, que brilha em qualquer circunstância e que soubemos entre nossos dois países e nossos povos, não faltará ao Brasil insumos indispensáveis para dar continuidade à recém-iniciada produção de vacinas que salvem a vida do povo brasileiro – afirmam.

Leia também1 Fiocruz receberá princípio ativo de vacina em dobro
2 Economia chinesa é a única que cresce durante a pandemia
3 Anvisa facilita importação de vacinas autorizadas no exterior
4 Covid: Deputados querem viajar à China e à Índia por vacinas
5 Anvisa oficializa flexibilização para compra de vacinas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.