Leia também:
X Boate Kiss: Justiça do RS anula julgameto que condenou 4 réus

Técnicos das Forças Armadas passam cerca de 7 horas no TSE

Eles estiveram na Corte para inspecionar o código-fonte das urnas eletrônicas

Henrique Gimenes - 03/08/2022 20h46 | atualizado em 04/08/2022 11h14

Urna eletrônica Foto: TSE/Secom/Antonio Augusto

Nesta quarta-feira (3), técnicos das Forças Armadas visitaram o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para realizar a inspeção do código-fonte da urna eletrônica. Eles passaram cerca de sete horas na Corte.

O código-fonte é um conjunto de linhas de programação de um software, com as instruções para que o sistema funcione. A abertura do código permite a inspeção pela sociedade civil.

Os militares devem voltar à Corte nesta quinta-feira (4) para retomar o trabalho de análise.

A fiscalização das Forças Armadas ocorreu em meio a uma “turbulência” entre o governo federal, liderada por questionamentos feitos pelo presidente Jair Bolsonaro e o TSE. Nesta terça (2), o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, encaminhou ofício classificado como “urgentíssimo” ao órgão, em que exigia acesso ao código-fonte das urnas.

Em resposta, o TSE informou que o acesso a todos os códigos-fontes utilizados nas Eleições de 2022 estavam disponíveis desde outubro de 2021 para as entidades fiscalizadoras do processo eleitoral, incluindo as Forças Armadas.

A inspeção já foi realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF) e Senado Federal. A Polícia Federal (PF) agendou a auditoria para ser realizada entre os dias 22 e 28 deste mês.

Leia também1 TSE é alertado sobre possíveis ataques de hackers nas eleições
2 Veja lista com os militares que inspecionaram urnas eletrônicas
3 Forças Armadas inspecionam código-fonte das urnas no TSE
4 Bolsonaro: Militares propuseram ao TSE filmar voto de eleitores
5 Após exigência da Defesa, TSE dá acesso aos dados das urnas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.