Leia também:
X Míriam acusa Bolsonaro de incitar violência e leva invertida

Randolfe vai ao TSE contra Jair Bolsonaro por “discurso de ódio”

Senador acusa o presidente da República de "discursos de ódio" e de "incitação à violência"

Pleno.News - 11/07/2022 14h54 | atualizado em 11/07/2022 15h21

Senador Randolfe Rodrigues Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Faltando menos de três meses para as eleições presidenciais, o senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) afirmou que irá enviar uma representação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro (PL) pelo que ele considera como “discursos de ódio” e por “incitar a violência”.

– As instituições, candidatos e partidos comprometidos com a democracia têm a obrigação de reagir ao avançar da barbárie bolsonarista. Ainda esta semana iremos propor representação ao TSE para responsabilizar Jair Bolsonaro por discursos de ódio e incitação à violência – escreveu Randolfe no Twitter nesta segunda-feira (11).

A declaração de Rodrigues acontece dois dias após o guarda municipal Marcelo Arruda, que era tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, no Paraná, ser morto durante a comemoração de seu aniversário de 50 anos. A festa tinha como tema o PT e fazia várias referências ao ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo relatos, por volta das 23h do último sábado (9), Jorge Guaranho invadiu a festa e atirou em Marcelo, que estava armado e revidou. Foi noticiado inicialmente que o atirador também teria morrido, mas a informação foi corrigida posteriormente e se soube que o policial penal estava internado em estado estável. A polícia investiga o crime como sendo de “motivação de política”.

Ao se manifestar sobre o crime, Bolsonaro pediu “que as autoridades apurem seriamente o ocorrido e tomem todas as providências cabíveis”. O presidente reproduziu mensagens de 2018, nas quais diz dispensar apoio de quem usa da violência contra os opositores. Ele ainda cobrou providência “contra caluniadores que agem como urubus para tentar” prejudicá-lo “24 horas por dia”.

*AE

Leia também1 Veja quais senadores em meio de mandato disputarão governos
2 Jair Bolsonaro marca telefonema com presidente da Ucrânia
3 Esquema de segurança de Lula conta com 35 policiais federais
4 Presidente da Hungria encontra-se com Bolsonaro no Planalto
5 PT reclama, e delegada é tirada do caso de petista morto em Foz

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.