Leia também:
X Fux: Punir motorista que recusar bafômetro é constitucional

PT demonstra preocupação com apoio a Freixo no Rio de Janeiro

Sigla avalia que apoio ao deputado federal pode estar estreitando a campanha do Lula

Pleno.News - 19/05/2022 09h04 | atualizado em 19/05/2022 09h36

Lula recebe Freixo e conversa sobre pandemia e eleições
Lula ao lado de Marcelo Freixo Foto: Lula/Ricardo Stuckert

O PT no Rio de Janeiro avalia que o apoio do partido à candidatura do deputado federal Marcelo Freixo (PSB) ao governo dificulta a campanha do ex-presidente Lula no estado, diante da alta rejeição do pré-candidato. Segundo o secretário nacional de Comunicação do PT, Jilmar Tatto, o partido decidiu contratar uma pesquisa para medir o impacto de Freixo na candidatura.

De acordo com Tatto, uma candidatura própria, uma coligação com o PSD ou até mesmo um palanque duplo são alternativas ao apoio fechado à candidatura de Freixo.

– Estamos muito preocupados com o Rio de Janeiro. Fizemos reunião do GTE (Grupo de Trabalho Eleitoral) ontem [terça-feira, 17]. Contratamos uma pesquisa. A candidatura do Freixo pode estar estreitando a campanha do Lula – declarou.

O crescimento do presidente Jair Bolsonaro (PL) no Rio acendeu o alerta de petistas. Na pesquisa Genial/Quaest divulgada na terça, Lula e Bolsonaro estão empatados no estado. O presidente saiu de 31% em março para 35%, enquanto o petista foi de 39% para 35%. Freixo está atrás de Cláudio Castro (PL), com 18%, ante 25% do atual governador que é apoiado por Bolsonaro.

Diante disso, Tatto afirmou que um dos cenários possíveis é que o PT lance um candidato próprio ao governo, e um nome viável seria o do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano, hoje pré-candidato ao Senado. Tatto também não descartou uma composição mais ampla, como uma eventual aliança com o PSD.

– A partir daí, zera tudo e põe as cartas na mesa e verifica o que é mais viável – disse ele.

O petista destacou que existem três preocupações do PT no Rio: ampliar o palanque a Lula; o acirramento entre o ex-presidente e Bolsonaro; e o PSB local descumprir o acordo de aliança ao lançar o deputado federal Alessandro Molon ao Senado.

O grupo também discutiu nesta quarta-feira (18), o impasse em relação à vaga ao Senado na aliança entre PT e PSB. Os petistas defendem Ceciliano, enquanto os pessebistas apostam em Molon. Freixo é, até então, o pré-candidato ao governo apoiado pelas duas legendas.

*AE

Leia também1 Fux: Punir motorista que recusar bafômetro é constitucional
2 Ministro do TCU diz que sistema eleitoral é "sólido" e "confiável"
3 Deezer Day 2022 premia os destaques da música gospel
4 Doria "não decola" e 3ª via decide seguir com Simone Tebet
5 Com frio, repórter de afiliada da Globo usa cobertor ao vivo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.