Leia também:
X Marco Aurélio: Negar registro a Bolsonaro seria “desastroso”

PT adia decisão sobre retirada de apoio a Freixo no Rio de Janeiro

Decisão sobre apoio ao nome do pessebista deve ser definido nesta sexta-feira

Pleno.News - 04/08/2022 13h12 | atualizado em 04/08/2022 13h26

Lula ao lado de André Ceciliano e de Marcelo Freixo Foto: Lula/Ricardo Stuckert

A Executiva Nacional do PT adiou para sexta-feira (5) a decisão sobre a manutenção do apoio a candidatura do deputado Marcelo Freixo (PSB) ao governo do Rio. Em reunião na manhã desta quinta (4), a direção do partido discutiu sobre a situação dos palanques estaduais em que ainda há entraves a serem resolvidos.

A decisão do partido deve passar pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem será a palavra final. O partido vai aguardar até a data limite para o registro de candidaturas e chapas na Justiça Eleitoral. A expectativa é que o PSB pressione o deputado Alessandro Molon a mudar de ideia e retirar a candidatura ao Senado, algo visto como improvável por aliados do pessebista.

Quatro integrantes da executiva nacional do PT já se posicionaram contra a candidatura de Molon (PSB) ao Senado pelo Rio. Eles devem engrossar o movimento contra a aliança do petismo com o PSB fluminense. A maioria da direção petista no Rio, porém, ainda defende a aliança com o PSB no estado.

Nas articulações da candidatura de Lula para a disputa pela Presidência, o PT decidiu apoiar Freixo na disputa para o Palácio Guanabara. Em troca, os petistas esperavam indicar o candidato da chapa à cadeira no Senado. O escolhido é André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

Mas Molon, presidente estadual do PSB, não quer abdicar de sua candidatura. Decidiu mantê-la, contrariando o PT. Segundo o parlamentar, o acordo entre as legendas alegado pelos petistas nunca existiu.

Insatisfeita, a executiva estadual do partido no estado aprovou, por maioria, o rompimento da aliança com Freixo na noite da última terça (2). Seus integrantes acusam o PSB de descumprir o acordo estadual. Cabe ainda ao Diretório Nacional validar a decisão junto com os outros partidos que compõem a federação: PC do B e PV.

*AE

Leia também1 Barroso mantém condenação de policiais do caso Carandiru
2 Projeto que veta "saidinha": Veja quais deputados votaram contra
3 França anuncia que vai nomear um embaixador LGBTQIA+
4 Deputada republicana morre em acidente de carro nos EUA
5 Mais de 40 mulheres relatam abusos sexuais por Bruno Krupp

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.