Leia também:
X Moro afirma que segue “como um soldado da democracia”

Por “propaganda antecipada” de Bolsonaro, PT vai ao TSE de novo

Partido falou sobre eventos realizados no Paraná no último sábado

Pleno.News - 14/04/2022 20h16 | atualizado em 14/04/2022 20h57

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Alan Santos

O Partido dos Trabalhadores voltou a apresentar ações ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por uma suposta propaganda eleitoral antecipada a favor do presidente Jair Bolsonaro. Desta vez o fato foram carreatas e motociatas realizadas em favor de Bolsonaro no Paraná no último sábado (9).

A primeira das ações do PT apresenta uma denúncia contra a Sociedade Rural do Paraná e o deputado federal Filipe Barros (PL-PR) por terem organização a carreata em apoio a Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República.

A segunda delas trata da participação do presidente em um evento na cidade de Ibiporã, no Paraná. De acordo com o PT, “percebe-se, pelas imagens e pelos vídeos que noticiaram os eventos, que o Senhor Jair Bolsonaro promoveu verdadeira propaganda eleitoral antecipada ao participar de carreatas e motociatas na região Norte do Estado do Paraná, acenando para seus eleitores com explícito intuito eleitoreiro”.

O partido já havia apresentado três representações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) questionando a instalação de outdoors contra o ex-presidente Lula instalados em Minas Gerais, Maranhão e Mato Grosso. Na opinião da sigla, tais conteúdos caracterizariam propaganda eleitoral antecipada, já que a instalação de painéis é proibida.

Leia também1 Bolsonaro confirma participação no "Apocalipse das motos" em SP
2 PSB vai ao STF e quer suspender sigilo de encontros de Bolsonaro
3 Bolsonaro relembra facada e diz querer voltar a Juiz de Fora
4 Doria promete acabar com sigilo de 100 anos, mas leva invertida
5 STF mantém condenação de Zé de Abreu por tuíte sobre facada

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.