Leia também:
X Com apoio de Michelle, Damares Alves será candidata ao Senado

Partido de Bolsonaro vai ao TSE contra Lula por ‘discurso de ódio’

PL apresentou sete ações contra o petista por propaganda eleitoral antecipada

Pleno.News - 05/08/2022 15h06 | atualizado em 05/08/2022 15h21

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Foto: EFE/Mario Guzmán

O Partido Liberal (PL) decidiu acionar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter propagado “discurso de ódio”. No total, foram sete ações enviadas à Corte apontando que o petista teria feito propaganda eleitoral antecipada. A informação foi dada pelo jornal Folha de S.Paulo.

Os advogados de Jair Bolsonaro apontaram que Lula teria cometido discurso de ódio ao se referir ao presidente com termos como “fascista”, “genocida”, “negacionista” e “desumano”. O PL quer a exclusão de vídeos em que o ex-presidente utiliza os termos e ainda que o petista pague multa.

Para os defensores, Lula “proferiu gravíssimas ofensas à honra e à imagem do atual presidente da República, bem como realizou verdadeiro discurso de ódio contra seu opositor, o que reforça a gravidade dos atos”. Além disso, apontou ainda que o petista pediu “votos de maneira dissimulada” e fez “inúmeras promessas de campanha”.

O partido citou eventos ocorridos, nos meses de julho e agosto deste ano, nas cidades de Serra Talhada (PE), Teresina (PI), Fortaleza (CE), Recife (PE), Brasília (DF), Garanhuns (PE) e Campina Grande (PB).

O documento é assinado pelo advogado Tarcísio Vieira de Carvalho.

Leia também1 Com apoio de Michelle, Damares Alves será candidata ao Senado
2 Bolsonaro é a favor de que roubo de celular seja crime hediondo
3 Bolsonaro lamenta morte de Jô Soares: "Exemplo de postura"
4 "Beijo do gordo": Políticos reagem à morte de Jô Soares
5 Globo anuncia que Bolsonaro dará entrevista ao JN no Rio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.