Leia também:
X Padre recusa condecoração por não acreditar no governo federal

Moro procurou Joaquim Barbosa para falar de 2022, diz colunista

Ex-ministro da Justiça teria procurado Barbosa para discutir impressões sobre o próximo pleito presidencial

Paulo Moura - 30/11/2021 10h53 | atualizado em 30/11/2021 11h43

Joaquim Barbosa pode concorrer à Presidência pelo PSB Foto: STF/Felipe Sampaio

O ex-ministro Sergio Moro, tido como o pré-candidato do Podemos ao Palácio do Planalto em 2022, teria procurado recentemente o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa para discutir impressões sobre o pleito do próximo ano. A informação foi divulgada pelo colunista Igor Gadelha, do site Metrópoles.

Segundo a publicação, o ex-juiz pediu para conversar pessoalmente com Barbosa, relator das ações relacionadas ao mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal, e o ex-ministro do STF teria sinalizado topar o encontro, que ocorreria depois de ele retornar ao Brasil de uma viagem à Europa, de onde chegou neste mês.

Assim como Sergio Moro, o nome de Barbosa também tem sido cogitado para as eleições presidenciais de 2022. Recentemente, o ex-ministro do Supremo voltou a conversar com a cúpula do PSB, sigla à qual segue filiado, sobre uma possível candidatura ao Planalto.

A possibilidade da presença de Barbosa no pleito presidencial foi discutida em um jantar dele com a cúpula da legenda em 4 de novembro, na sede do PSB, em Brasília. Na ocasião, a sigla teria prometido encomendar pesquisas com o nome do ex-ministro.

Leia também1 Ao vivo! Assista à filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL
2 Diretores da Anvisa são alvos da PF por fraudes no governo Dilma
3 Japão e França detectam casos da variante Ômicron da Covid-19
4 Ao menos dez capitais não farão Réveillon este ano. Saiba quais!
5 Covid: Risco de internação é 257 vezes maior que reação à vacina

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.