Leia também:
X Bolsonaro sobre Moraes: “Daqui a pouco prende filho meu”

Moraes proíbe propaganda do governo sobre a Independência

Ministro considerou que slogans presentes na propaganda possuem "viés político"

Paulo Moura - 26/08/2022 14h37 | atualizado em 26/08/2022 15h04

Ministro Alexandre de Moraes Foto: TSE/Secom/LR Moreira

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), proibiu a veiculação de uma propaganda do governo federal sobre o Bicentenário da Independência. Para Moraes, há “viés político” na campanha.

A decisão foi tomada no âmbito de um processo no qual o secretário especial de Comunicação Social do Ministério das Comunicações, André de Sousa Costa, pediu ao TSE que autorizasse a divulgação da propaganda. Em razão do período de campanha política, os agentes públicos precisam submeter suas publicidades institucionais à aprovação da Justiça Eleitoral.

Moraes afirmou que algumas frases da campanha publicitária como: “Somos, há 200 anos, brasileiros livres graças à coragem constante”; “Porque a mesma coragem de Dom Pedro existe ainda hoje em milhões de Pedros Brasil afora” e “O futuro escrito em verde e amarelo” seriam slogans que “trazem consigo símbolo de um ideologia política”.

– Trata-se de slogans e dizeres com plena alusão a pretendentes de determinados cargos públicos, com especial ênfase às cores que reconhecidamente trazem consigo símbolo de um ideologia política, o que é vedado pela Lei eleitoral, em evidente prestígio à paridade de armas – declarou.

Recentemente, Moraes já havia negado pedidos feitos pelo governo para que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fizesse um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação de 2022, e também sobre a varíola dos macacos.

Leia também1 Lula foi "treinado" por Chico Pinheiro para entrevista no JN
2 Bolsonaro ironiza errata de Bonner em sabatina com Lula
3 Jair Bolsonaro sobre debate da Band: "Devo ir no domingo"
4 Bolsonaro questiona proibição de celular na cabine de votação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.