Leia também:
X TSE impõe cota de gênero nas eleições de outubro

Garcia: ‘Não quero que São Paulo vire play de eleição nacional’

Atual governador de São Paulo falou sobre a polarização Bolsonaro x Lula

Pleno.News - 30/06/2022 13h41 | atualizado em 30/06/2022 14h54

Rodrigo Garcia, governador de São Paulo Foto: Governo do Estado de São Paulo

O atual governador paulista e pré-candidato à reeleição, Rodrigo Garcia (PSDB), afirmou nesta quinta-feira (30), em entrevista à Rádio Eldorado que São Paulo “não pode virar playground de candidatura nacional” ao comentar uma eventual repetição na eleição estadual da polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual, Jair Bolsonaro (PL), na disputa presidencial.

O tucano disse ter confiança que a população paulista sabe separar as coisas, sabe o papel que um governador exerce e o papel que um presidente exerce em relação ao Brasil e escolhe de maneira livre.

– Ela não vai escolher um candidato a governador porque um candidato a presidente está pedindo, mas vai fazer isso de acordo com as suas convicções e as propostas de cada um – disse.

– Não vai ser uma polarização nacional que vai pautar uma eleição de governador de São Paulo. Não quero que São Paulo vire playground de candidatura nacional. São Paulo não pode servir a um projeto político A ou B, tem que servir aos paulistas e a quem vive aqui – emendou.

Eleito em 2018 como vice na chapa do então candidato João Doria (PSDB), Garcia apoiou a eleição de Jair Bolsonaro contra Fernando Haddad (PT). Durante a entrevista, o atual governador preferiu não se manifestar como votaria numa segunda polarização nacional entre petistas e bolsonaristas e afirmou que consegue no pleito estadual ter apoio de políticos que se dividem entre os presidenciáveis.

– Tenho partidos que me apoiam que estão com Bolsonaro em nível nacional, como o Progressistas; que apoiam Luciano Bivar, como o União Brasil; e que estão com Lula nacionalmente, como o Solidariedade. E o meu partido, o PSDB, apoia Simone Tebet (MDB). Tenho um amplo palanque e todos os partidos que estão comigo têm essa liberdade de apoiar seus candidatos a presidente, mas discutindo São Paulo, que é o mais importante – apontou.

Na última pesquisa de intenção de voto divulgada pela Exame/Ideia no dia 8 de junho, Garcia aparece em quarto lugar, com 11%, atrás de Fernando Haddad (PT), com 27%; e de Tarcísio de Freitas (Republicanos), com 17%; e Márcio França (PSB), com 14%. O ex-governador, no entanto, ainda negocia apoio a Haddad em troca de ocupar na chapa com o PT o posto de candidato ao Senado.

*AE

Leia também1 TSE impõe cota de gênero nas eleições de outubro
2 Pesquisa Modalmais mostra Lula e Bolsonaro em empate técnico
3 "Fechei com Datena", relata Bolsonaro sobre chapa de SP
4 TSE: Fachin e Moraes iniciam transição do comando eleitoral
5 "Esquerda não deixará o poder se voltar", diz Bolsonaro à Fox News

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.