Leia também:
X TSE censura site por reportagem sobre apoio de Lula a Ortega

Bolsonaro fala em ‘problemas’ na apuração do 1º turno

Presidente também criticou institutos de pesquisa

Pleno.News - 05/10/2022 21h47 | atualizado em 06/10/2022 11h36

Presidente Jair Bolsonaro em sua live semanal Foto: Reprodução/Print de vídeo publicado nas redes sociais

Em sua primeira transmissão ao vivo nas redes sociais no segundo turno das eleições, o presidente Jair Bolsonaro (PL) falou em “problemas” na apuração dos votos na primeira etapa da disputa e voltou a criticar o Supremo Tribunal Federal (STF), após uma decisão da ministra Cármen Lúcia. Ele também colocou em dúvida a pesquisa Ipec divulgada nesta quarta-feira (5), que mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 51% dos votos no segundo turno, contra 43% do candidato à reeleição.

Ao duvidar da confiabilidade da apuração das urnas, Bolsonaro fez uma comparação com a disputa entre a ex-presidente Dilma Rousseff e o deputado Aécio Neves (PSDB-MG) em 2014.

– Tivemos apurações, alguns problemas apareceram, passei para frente esses problemas. Até o gráfico da evolução que foi feito aqui, levando-se em conta cada porcentual de voto que era computado, criou uma figura geográfica uniforme, bem típica de algoritmos, muito parecida com aquela do segundo turno de 2014 – disse o presidente.

E continuou:

– O Aécio Neves conseguiu maioria e aí ela foi numa paralela até o final. Cada vez que entrava um minuto de voto dava ora vitória de Aécio, ora vitória de Dilma. E assim foi, paralelo, até o final, e foi decidido o segundo turno em 2014. Agora, parece que, se tivesse mais cinco minutos aqui, mais 5%, o nosso oponente teria conseguido a eleição no primeiro turno – emendou Bolsonaro.

O presidente também voltou a criticar os institutos de pesquisa e disse que a “palhaçada” começou de novo, ao comentar o levantamento do Ipec. No primeiro turno, Lula obteve 48,43% dos votos válidos, contra 43,20% de Bolsonaro. A pesquisa Datafolha divulgada na véspera da eleição apontava o petista com 50% e o candidato à reeleição com 36%. O levantamento do Ipec, por sua vez, mostrava o candidato do PT com 51% e o chefe do Executivo com 37%. A discrepância fez com que o presidente e seus apoiadores centrassem suas críticas às empresas.

Na live, Bolsonaro também disse que a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), “faz de tudo para eleger Lula”. O presidente ficou contrariado após a magistrada mandar a Polícia Federal (PF) definir como pretende apurar uma suposta participação no episódio envolvendo pastores no Ministério da Educação, revelado pelo Estadão neste ano.

– Ela quer algo contra mim, faz de tudo para que o Lula seja presidente. Ela quer me investigar no caso do Ministério da Educação. Até o momento, não tem nada dizendo que algum prefeito recebeu algum ministro, algum recurso. Se aparecer, obviamente, comprovou paciência, vamos aí às penas – disse o candidato à reeleição.

*AE

Leia também1 2023: Bancada Evangélica terá pelo menos 115 nomes
2 União Brasil libera filiados para apoio a Bolsonaro ou a Lula
3 Ana Paula Valadão declara apoio a Jair Bolsonaro: "Princípios"
4 Para derrotar Lula, Bolsonaro quer apoio de senadores eleitos
5 MDB de SP decide apoiar Tarcísio de Freitas no segundo turno

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.