Leia também:
X Bolsonaro ironiza pesquisa que aponta Lula como ‘mais honesto’

“Contagem simultânea de votos já é realizada na eleição”, diz TSE

Corte divulgou nota explicando como essa contagem simultânea é realizada

Henrique Gimenes - 13/06/2022 16h24 | atualizado em 13/06/2022 16h55

Urna eletrônica Foto: ASICS/TSE/Nelson Jr.

Nesta segunda-feira (13), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou uma nota rebatendo uma crítica feita pelo presidente Jair Bolsonaro na apuração dos votos. No texto, a Corte explicou que já é realizada uma contagem simultânea dos votos nas eleições.

O texto pode ser visto no site do TSE.

As críticas foram feitas por Bolsonaro neste domingo (12), durante participação no CPAC. Na ocasião, ele disse que a medida foi uma sugestão das Forças Armadas que acabou não sendo aceita pelo TSE. Nesta segunda, o presidente voltou ao tema durante entrevista à rádio CBN Recife.

– Querem me dar o golpe para me tirar do poder. É fácil resolver isso aí, vamos deixar a apuração simultânea do lado. Qual o problema? – indagou.

A Corte, no entanto, afirmou que a contagem simultânea já é realizada e que “todas as medidas voltadas para garantir ainda mais transparência e segurança nas Eleições 2022 vêm sendo amplamente divulgadas pelo Portal do TSE e pela imprensa, o que leva a crer que questionamentos sobre o assunto acontecem apenas por desconhecimento técnico ou por motivações políticas”.

O TSE explicou ainda que disponibiliza “os Boletins de Urna enviados para totalização e as tabelas de correspondências efetivadas na sua página da internet, ao longo de todo o período de recebimento, como alternativa de visualização, dando ampla divulgação nos meios de comunicação”.

A Corte apontou também que “qualquer pessoa ou instituição pode fazer contagem simultânea de votos. Para isso, é preciso ter acesso à internet, onde estarão disponibilizados os arquivos dos Bus das seções eleitorais”.

Além disso, o TSE ressaltou que “caso a instituição interessada deseje fazer tal contagem antes mesmo da disponibilização na internet, isso também é possível”, por meio do “aplicativo chamado BU na Mão”. Segundo a Corte, “é comum, em eleições suplementares, partidos e candidatos que fazem esse processo de totalização por meios próprios e que, às vezes, muito antes da Justiça Eleitoral, já conhecem os resultados, sem que haja registro de qualquer contestação em relação aos divulgados oficialmente”.

Leia também1 Bolsonaro ironiza pesquisa que aponta Lula como 'mais honesto'
2 Bolsonaro alerta: "Querem me dar golpe para me tirar do poder"
3 Bolsonaro nega ter pedido ajuda a Biden contra Lula nas eleições
4 Bolsonaro: “Previsão é o preço da gasolina cair R$ 2, e diesel R$ 1”
5 "Se Lula voltar, será para nunca mais sair", diz Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.