Leia também:
X Aluna de universidade federal acusa colegas de perseguição

Boris Casoy diz que TSE favorece Lula: “Isto é uma vergonha”

Jornalista comentou sobre censura do Tribunal à Jovem Pan

Monique Mello - 20/10/2022 17h25 | atualizado em 20/10/2022 17h58

Boris Casoy Foto: Reprodução/YouTube Boris Casoy

O jornalista e comentarista da CNN Brasil Boris Casoy repercutiu a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que impediu a Jovem Pan de noticiar fatos envolvendo as condenações de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O veterano foi categórico e classificou a ação do tribunal como censura.

– Isso fere diretamente a Constituição Brasileira. Isso se chama censura prévia. Não deixam abordar esse ou aquele assunto. O TSE tanto fez, tanto tentou, tanto deitou e rolou que acabou tropeçando em suas próprias decisões – declarou.

O jornalista afirmou que deveria dar o “nome correto das coisas”, sem eufemismos. Ele disse também que não gostaria de “atribuir maldade” às decisõs do TSE, embora desconfie. Para o comentarista, está claro que houve um favorecimento a Lula.

– O TSE acaba de favorecer o Lula com as proibições, com a censura imposta à Jovem Pan. Tem que ficar aqui um protesto – disparou.

E continuou:

– Quem ama a liberdade, quem trabalha com a liberdade de comunicação que nós temos no Brasil, tem que ficar o protesto contra esta ação destrambelhada, sensória com “s” do TSE. Você sabe como deve ser classificada essa ação catastrófica contra a democracia? Isto é uma vergonha! O que o TSE fez com a Jovem Pan é uma vergonha – concluiu.

CONFIRA:

Leia também1 CNN dá apoio à Jovem Pan após decisão do TSE a favor de Lula
2 TSE suspende vídeo de Lula que associa Bolsonaro a armas
3 TSE suspende documentário sobre o atentado a Jair Bolsonaro
4 TSE mantém desmonetização da Brasil Paralelo e outros canais
5 TSE amplia poder de polícia contra fake news no 2º turno

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.