Leia também:
X Hang reage à conta suspensa no Twitter: ‘Momentos estranhos’

Bolsonaro: Eleição de Lula seria ‘recondução de criminoso’ ao crime

O presidente também criticou possível aliança do petista com Geraldo Alckmin

Pleno.News - 12/01/2022 23h09 | atualizado em 13/01/2022 10h03

Presidente Jair Bolsonaro afirmou ter sido alvo de comentários “maldosos” Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a eventual eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em cerimônia no Palácio do Planalto nesta quarta-feira (12), o presidente afirmou que reeleger o petista seria como “reconduzir um criminoso” à “cena do crime”.

Bolsonaro também criticou uma possível aliança entre o líder do PT e Geraldo Alckmin, ex-adversário político de Lula pode ser vice na chapa do ex-presidente.

– Um só delator devolveu R$ 100 milhões. Da onde veio a grana? E querem reconduzir à cena do crime o criminoso, juntamente com Geraldo Alckmin? É isso que queremos para nosso Brasil? – questionou.

Bolsonaro também elogiou o trabalho de seus ministros e afirmou que eles fazem uma “cota de sacrifício” estando no governo, quando poderiam ser melhor remunerados na iniciativa privada.

– A maioria de vocês poderia estar muito bem fora, mas está aqui, dando sua cota de sacrifício, ajudando este Brasil a vencer a crise [em] que se encontra no momento e [a] fazer com [a nação] que não volte à mão de bandidos, canalhas que ocupavam este espaço para assaltar o país, por um projeto de poder cujo ato final seria roubar nossa liberdade – declarou.

Leia também1 Hang reage à conta suspensa no Twitter: 'Momentos estranhos'
2 Vetar reajuste de policiais seria pior, diz líder da 'bancada da bala'
3 Cancelaram médicos, diz Henkel ao criticar a "milícia checadora"
4 Vera chama Jair Bolsonaro de negacionista, e historiador rebate
5 YouTube vai 'investigar' vídeo de Malafaia após "denúncia"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.