Leia também:
X TSE diz que acolheu 10 propostas feitas pelas Forças Armadas

Bolsonaro discursa no CPAC e faz “alerta” sobre as eleições

Presidente apontou que o TSE não aceitou uma "contagem simultânea dos votos"

Henrique Gimenes - 12/06/2022 21h53 | atualizado em 13/06/2022 09h10

Presidente Jair Bolsonaro no CPAC Brasil Foto: Reprodução/Print de vídeo publicado nas redes sociais

O presidente Jair Bolsonaro participou, neste domingo (11), do CPAC Brasil (sigla para Conservative Political Action Conference). Ele fez um discurso durante uma transmissão ao vivo na qual falou das eleições de 2018, do pleito que ocorrerá este ano e criticou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A participação de Bolsonaro no evento foi uma surpresa.

– O que eu vou falar agora, eu não tenho prova, vou deixar bem claro. No primeiro turno, por indícios fortíssimos, eu ganhei – apontou o presidente.

Ele também falou sobre a possibilidade de a esquerda voltar ao poder e citou duas formas. A primeira seria enganando a população. Já a segunda ocorreria por meio de um aparelhamento.

– É muito fácil fazer campanha, falar o que não fazem. E também, de outra forma, aparelhando instituições que, quando você precisa, você aciona os seus amigos para tomarem providências. Quem é que colocou o Lula na rua? Foi o Fachin. Quem está à frente do Tribunal Superior Eleitoral no momento? É o Fachin. É apenas uma dica do que está acontecendo – destacou.

Bolsonaro explicou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não aceitou uma proposta de contagem simultânea de votos.

– Se negando a aceitar as propostas das Forças Armadas. O próprio presidente do Superior Tribunal Eleitoral anterior, que era o Barroso, convidou as Forças Armadas. Apresentaram sugestões. No momento, eles dizem que aceitaram total ou parcialmente as sugestões. Só que tem uma muito importante, que amanhã vou me debruçar sobre ela. Eles não aceitaram, ou aceitaram parcialmente, a contagem simultânea dos votos – ressaltou.

O presidente ainda falou sobre decisões tomadas por ele no passado.

– Eu faço o que vocês determinam. Não tomei certas decisões no passado por que a população não estava devidamente informada – afirmou.

Leia também1 Gleisi Hoffmann volta a falar em impeachment de Jair Bolsonaro
2 Empresa contratada pelo PL diz que urnas podem ser fraudadas
3 Presidente Bolsonaro deseja feliz dia dos namorados a todos
4 "Bolsonaro argentino" está em São Paulo para o CPAC Brasil
5 Luciano Hang rebate Miriam Leitão: “Vá para Venezuela”

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.