Leia também:
X “Troca deve se concretizar hoje ou amanhã”, diz Mandetta

Ministro Luís Roberto Barroso é eleito presidente do TSE

Cargo será ocupado por ele até fevereiro de 2022

Paulo Moura - 16/04/2020 14h14

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: Reprodução/Twitter

O ministro Luís Roberto Barroso foi eleito, durante sessão nesta quinta-feira (16), para o cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para o biênio de 2020-2022. Com isso, Barroso será o responsável por comandar o processo eleitoral das Eleições Municipais de 2020.

Após anunciar o resultado, a atual presidente do TSE, ministra Rosa Weber, parabenizou o ministro Barroso pela eleição e disse ter certeza que ele conduzirá bem a Corte.

– Tenho absoluta certeza que o TSE estará nas melhores e mais qualificadas mãos que esta Casa poderia almejar para levar a cabo, com todo êxito, as eleições municipais previstas para outubro deste ano – declarou Weber.

Em resposta, Barroso elogiou a condução de Weber nas eleições de 2018 e se disse honrado em assumir o cargo para os próximos dois anos.

– É um privilégio presidir o TSE com essa composição de pessoas que eu gosto e que admiro. Temos um lindo país e precisamos fazer com que ele encontre o seu melhor destino – finalizou o ministro.

De acordo com a Constituição Federal, o TSE é composto por, no mínimo, sete ministros efetivos – três do Supremo Tribunal Federal (STF), dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e dois juristas nomeados pelo presidente da República entre advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, a partir de lista tríplice indicada pelo STF.

O mandato do ministro Luís Roberto Barroso agora seguirá até o dia 28 de fevereiro de 2022, quando será escolhido seu sucessor.

Leia também1 Internet volta a criticar o STF após decisão sobre isolamento
2 Parlamentares estudam adiar 1° turno para 15 de novembro
3 Barroso descarta suspender eleições apesar da Covid-19

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.