Leia também:
X Operação contra milícias no Rio prende 142 pessoas

Rede lança Marina Silva como pré-candidata à Presidência

Ela já exerceu mandato de senadora e também foi ministra do Meio Ambiente

Henrique Gimenes - 07/04/2018 16h05 | atualizado em 07/04/2018 16h28

Rede lança a pré-candidatura de Marina Silva à Presidência da República Foto: Elza Fiuza/Agência Brasil

Neste sábado (7), a Rede Sustentabilidade lançou a pré-candidatura de Marina Silva à Presidência da República. Ela já ocupou os cargos de senadora e também de ministra do Meio Ambiente. As informações foram dadas pelo portal G1.

Em discurso, Marina Silva destacou a importância de disputar as eleições em um momento tão delicado como o atual. Ela também comentou sobre a prisão do ex-presidente Lula.

– Nunca foi tão necessária a decisão de estar aqui hoje, pelo momento que estamos vivendo. Momento que não é de celebração, mas de tristeza por um lado. Um ex-presidente da República, que poderia estar apto para fazer o que quisesse na política, estar sendo interditado pela Justiça por erros que cometeu – ressaltou.

A pré-candidata, que teve seu nome aprovado por aclamação no congresso do partido, também destacou que, a partir de agora, o país pode começar a ter esperança de que a “lei será igualmente para todos”. Marina, no entanto, disse que é preciso acabar com a justiça seletiva.

– Que não se permita mais que os Renans, os Aécios, os Padilhas e os Temers fiquem impunes sob o manto do foro privilegiado. Não podemos ter uma justiça que tenha dois pesos e duas medidas – apontou.

Na terça-feira (3), Marina Silva deu entrevista ao blog Inconsciente Coletivo, do jornal O Estado de S.Paulo. Ela, que é evangélica, disse não ter medo de expor sua fé religiosa e que “as pessoas têm o direito à liberdade de expressão previsto na nossa Constituição”.

– A minha fé é pública e é de conhecimento público. Eu sou evangélica da Assembleia de Deus, já fui quase freira, inclusive. Hoje eu sou convertida à fé evangélica, mas eu tenho muito respeito pelos meus irmãos católicos, tenho respeito pelas outras crenças, de quem tem origem afrodescendente, de quem tem origem em outras tradições religiosas e tenho respeito também por aqueles que não creem. Afinal de contas você não está na política como líder espiritual, mas para defender os interesses dos cidadãos – declarou na ocasião.

Leia também1 Partidos: Quem ganha e perde com a saída de Lula
2 Alckmin e Doria deixam cargos para disputar eleições

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.