Presidenciável Marina Silva se afasta da bancada evangélica

Pré-candidata se reuniu com pastores que se opõem às pautas da bancada

Pleno.News - 16/07/2018 08h41

A presidenciável Marina Silva Foto: Agência Brasil/Elza Fiuza

A pré-candidata à Presidência da República Marina Silva estaria se aproximando de pastores que se opõem às pautas da bancada evangélica no Congresso Nacional.

Marina se encontrou, na cidade de São Paulo, na última sexta-feira (13), com um grupo de pastores composto em sua maioria por presbiterianos, batistas e luteranos, segundo o Estado de São Paulo.

Durante o discurso, ela defendeu uma reforma política apresentada pelo movimento Reforma Brasil, que é liderado pela Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo; se opôs ao armamento da população; defendeu o fim do foro privilegiado e também a nomeação de ministros para o Supremo Tribunal Federal.

Valdinei Ferreira, um dos amigos da pré-candidata, esteve no evento. Em um manifesto lançado, por sua igreja, há críticas a políticos que usam o título de pastor missionário. De acordo com Ferreira, é necessário trabalhar para apresentar à sociedade propostas que não tenham apenas temas morais.

Esse movimento de Marina Silva foi visto como uma forma de se contrapor a Jair Bolsonaro, que possui o apoio de muitas personalidades evangélicas. A presidenciável, inclusive, tenta não rotular o voto que recebe como evangélico, exclusivamente.

– Tenho a felicidade de ter o voto de evangélico, voto de católico, voto de espírita, voto de quem crê e voto de quem não crê. Porque eu me dirijo aos cidadãos brasileiros respeitando a fé de cada um e, sobretudo, não negando também minha identidade – declarou no evento, de acordo com a publicação.

LEIA TAMBÉM+ Flávio Rocha desiste de concorrer à Presidência
+ Saiba quem são os possíveis vices de Jair Bolsonaro
+ Bolsonaro fala de Lula: "Esse bandido vai continuar lá"