O que Geraldo Alckmin acha sobre religião, aborto e gays

Ele cumpriu quatro mandatos como governador de São Paulo e disputou a Presidência em 2006

Pleno.News - 17/05/2018 09h42

Geraldo Alckmin é um dos pré-candidatos à Presidência da República Foto: Divulgação/Secom SP

Atualmente são 20 os pré-candidatos à Presidência da República. Para ajudar a conhecer um pouco mais sobre cada um, o Pleno.News preparou um perfil deles. Confira aqui o de Geraldo Alckmin (PSDB), que disputa o cargo pela segunda vez:

TRAJETÓRIA
Geraldo Alckmin é médico por formação e entrou na carreira política como vereador e depois prefeito da sua cidade natal, Pindamonhangaba (SP). Foi deputado estadual e federal por São Paulo, até chegar ao Governo do Estado de São Paulo em 2001. Depois voltou ao cargo em 2011, no qual ficou até o dia 6 de abril deste ano (saiu para disputar as Eleições).

No total, cumpriu quatro mandatos como governador do estado. Disputou a Presidência uma vez, em 2006, na qual ficou em segundo lugar. Começou no MDB, mas acabou se transferindo para o PSDB, onde segue até hoje. É o atual presidente do partido.

RELIGIÃO E FAMÍLIA
Alckmin é católico. Em entrevistas, já admitiu que seus parentes pertenceram à organização católica ultraconservadora Opus Dei. O grupo é visto por alguns de forma negativa, mas o político já declarou abertamente sua opinião sobre ele.

– O meu tio é que era da Opus Dei. Eu não vejo nenhum problema na Opus Dei. O monsenhor Escrivá (fundador do grupo) foi beatificado, canonizado e é santo da Igreja Católica. Não vejo nenhum problema. Se eu fosse, eu até lhe diria. Agora, sou católico – declarou em 2005, durante o programa Roda Viva.

Sobre o relacionamento com outras crenças, principalmente dos evangélicos, defende a união das igrejas “vai inspirar o Brasil para que a gente possa avançar e melhorar ainda mais”.

– Nós precisamos nos inspirar na igreja. Nos momentos conturbados, ela é o porto seguro dos valores cristãos. Vamos deixar essa divisão de nós contra eles para se unir em torno de valores. Uma casa dividida não caminha – declarou durante abertura da ExpoCristã em 2017.

ABORTO
O tucano é contra a legalização do aborto. Para ele, a legislação brasileira atual é suficiente para prevenir a gravidez indesejada. No lugar da legalização do aborto, Alckmin propõe aumento dos programas de educação sexual.

– Eu não vejo o aborto como solução. Nós já temos previstos na lei casos de aborto para estupro, risco de morte para a mãe. Para outros casos, a solução é evitar a gravidez indesejada – disse em 2006, à Folha de S. Paulo.

GAYS
Geraldo Alckmin é a favor da união estável entre pessoas do mesmo sexo. Defende a prática por percebê-la como um contrato entre duas pessoas. Em 2012, falou sobre o assunto à rádio Mix.

– Primeiro que a lei estadual que nós promulgamos em 2001 (Lei 10.948) que ela seja federal, que ela possa ir para o Brasil inteiro para não se tolerar homofobia, não se tolerar discriminação, não se tolerar injustiça. A injustiça cometida contra uma pessoa é uma ameaça a toda a sociedade. Não pode ser tolerada. E sou favorável aos direitos civis, os direitos civis são importantes. É uma tradição da legislação brasileira – afirmou na ocasião.

ECONOMIA
Um dos carros-chefe de sua campanha sempre é a economia. Alckmin busca crescimento econômico pela desburocratização dos processos públicos, incentivo da competitividade e maiores importações e exportações.

O economista Persio Arida, participante do Plano Real, foi contratado pelo ex-governador para criar o plano de ação econômica da campanha presidencial.

– Se tivermos um bom marco regulatório, você pode até privatizar tudo no futuro, sem nenhum problema – afirmou em fevereiro à revista Época Negócios.

LEIA TAMBÉM+ O que Jair Bolsonaro acha sobre religião, aborto e gays
+ O que Ciro Gomes acha sobre religião, aborto e gays
+ O que Marina Silva acha sobre religião, aborto e gays