Leia também:
X Ataque de Fernando Haddad a Edir Macedo revolta pastores

Haddad: ‘Temos que assumir e corrigir o que esteve de errado’

Candidato disse que seu partido precisa voltar a ter a confiança da população

Henrique Gimenes - 15/10/2018 15h26

O candidato Fernando Haddad Foto: EFE/Sebastião Moreira

Nesta segunda-feira (15), o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou que seu partido precisa reconhecer os erros cometidos durante seus governos para voltar a ter a confiança da população.

A declaração foi dada durante uma entrevista à Rádio Capital, de São Paulo. Ele ainda informou que, se eleito, pretende fazer um governo “amplo”.

– O nosso problema é esse. Temos de recuperar o projeto que deu certo. Corrigindo o que esteve de errado, assumindo e corrigindo o que esteve de errado (…) Vamos ter de unir as forças democráticas em um governo mais amplo que o PT. Todo mundo que for a favor da democracia, eu convoco para meu lado. É um sinal que estou dando de que quero ampliar o debate na sociedade – explicou.

O candidato do PT também voltou a criticar o fato de seu adversário, Jair Bolsonaro, não comparar aos debates entre os candidatos. Para Fernando Haddad, é preciso que a população conheça as propostas do candidato do PSL.

– Eu acho que se a gente levar as propostas dele ao conhecimento das pessoas, elas vão deixar de votar nele (…) Imagina uma criança aprendendo em casa, sozinha? O que ele quer é dispensar os professores para baratear a educação – apontou.

Falando a jornalistas durante uma coletiva em São Paulo, Haddad voltou a falar sobre a educação à distância no ensino fundamental. Para ele, a medida iria destruir a escola pública no Brasil. Para o presidenciável, o ideal seria manter os alunos em tempo integral nas escolas para que ela possa socializar.

– Toda a perspectiva do mundo é a educação em tempo integral, ou seja, manter a criança na escola em tempo integral para que ela possa conviver, se socializar, construir a sua própria personalidade, ter um professor e às vezes dois professores a disposição. E a ideia de usar educação a distância no ensino fundamental é destruição da escola pública – explicou.

 

Leia também1 Haddad: "Brasil tem que abraçar todas as religiões"
2 Haddad quer melhorar o controle interno das estatais

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.