Leia também:
X Ricardo Barros deve ser chamado para dar esclarecimentos na CPI

Dr. Jairinho pede absolvição à Câmara: ‘Pai carinhoso e amado’

Vereador enfrenta processo de cassação de mandato

Gabriela Doria - 26/06/2021 09h28 | atualizado em 26/06/2021 11h52

Vereador Dr. Jairinho Foto: Câmara Municipal do Rio de Janeiro/Renan Olaz

Os advogados do vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, apresentaram a defesa do parlamentar ao Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Vereadores do Rio. Jairinho enfrenta um processo de cassação de mandato após ser acusado de assassinar o enteado, Henry Borel, de 4 anos, entre outros crimes contra crianças e suas ex-companheiras.

Em um relatório de 38 páginas, a defesa do vereador afirma que Jairinho sempre foi “um pai carinhoso, presente, amado pelos filhos, quiçá por Henry. Além de ser uma pessoa que conquistou uma legião de amigos e admiradores na Câmara”.

O documento diz ainda que Jairinho não teve espaço para a ampla defesa e o contraditório, e que o vereador é vítima de “uma farsa”.

CASSAÇÃO
Na próxima segunda-feira (28), o Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores irá votar o parecer do relator do caso, o vereador Luiz Ramos Filho (PMN), que se manifestou a favor da cassação do mandato de Jairinho. Nos bastidores, parlamentares consideram nulas as chances dele manter o cargo.

– Não restam dúvidas de que Henry foi vítima de homicídio duplamente qualificado, por emprego de tortura e meio que impossibilitou a defesa da vítima, quando estava apenas na companhia de Monique e Jairo. Também não restam dúvidas que Jairinho agredia Henry. A própria extensão das lesões, em sua gravidade e quantidade, demonstra ação brutal contra a criança, culminando com a morte dela, antes da chegada ao hospital – diz o trecho do inquérito policial, que foi reproduzido no relatório.

Para que o relatório seja aprovado, é preciso que pelo menos quatro dos sete membros do Conselho aprovem o parecer. Em seguida, o plenário da Câmara, que tem 51 vereadores, deve ter dois terços dos votos favoráveis para confirmar a cassação, ou seja, 34 parlamentares devem votar seguindo o relatório de Ramos Filho.

Leia também1 Relator do processo de Jairinho pede cassação do vereador
2 Dr. Jairinho é indiciado por violência contra ex-namorada
3 Justiça do Rio aceita Leniel Borel como assistente de acusação
4 Defesa diz que Monique foi envolvida em 'desgraça familiar'
5 Conselho de Medicina do Rio suspende registro de Dr. Jairinho

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.