Leia também:
X Mourão elogia atuação da Anvisa em negativa à vacina Sputnik V

Deputado critica ação que pode libertar assassino Champinha

Criminoso foi o responsável pela morte de Liana Friedenbach

Mayara Macedo - 28/04/2021 14h45 | atualizado em 28/04/2021 15h52

Liana Friedenbach e Felipe Caffé Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (27), o deputado federal Capitão Derrite se manifestou no Twitter sobre o possível direito a liberdade que Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, assassino de Liana Friedenbach, poderá ter.

O motivo da revolta de Derrite é uma ação da Defensoria Pública que pede “tratamento terapêutico individualizado” para Champinha e outros cinco detentos. Além disso, a Justiça de São Paulo aceitou um pedido feito pelo mesmo órgão que pede para que a internação de adolescentes e jovens adultos com deficiente intelectual nas Unidades Experimentais de Saúde seja impedida.

– Champinha matou um casal de [jovens] de 16 e 19 anos anos quando [ele] tinha 16. Nem a família quer ele em liberdade, mas a Def. Pública quer, pois não há projeto terapêutico individualizado para ele, coitadinho. E para as famílias das vítimas, há? – escreveu o parlamentar no Twitter.

O CASO
Em 31 de outubro de 2003, Liana Friedenbach, na época com 16 anos de idade, e o namorado, Felipe Caffé, de 19, resolveram acampar em um sítio localizado em Embu-Guaçu, São Paulo. Após se acomodarem no local onde ficariam, Champinha e Paulo Cézar da Silva Marques, conhecido como Pernambuco, surpreenderam o casal anunciando um assalto. Como não acharam nada de valor, decidiram sequestrar os jovens.

No dia 2 de novembro, Felipe foi morto por Pernambuco. Liana permaneceu em cativeiro, onde foi estuprada por Pernambuco, por Champinha e por um terceiro homem. Ela foi assassinada no dia 5 de novembro após sofrer golpes de uma faca peixeira desferidos por Champinha.

Na época dos fatos, Champinha tinha 16 anos e, por isso, foi mandado para um local de jovens infratores. Atualmente, ele vive na Fundação Experimental de Saúde após ser comprovada sua inaptidão para convívio social.

Leia também1 Mourão elogia atuação da Anvisa em negativa à vacina Sputnik V
2 Homem inocente preso por mais de 18 anos receberá R$ 2 milhões
3 Mulher que pulou de prédio para fugir de estupro volta a andar
4 Avó de Henry a Monique: "Você foi a melhor mãe para seu filho"
5 Professoras de SC criticam volta às aulas, mas viajam ao Nordeste

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.