Leia também:
X Bolsonaro reclama: “O que menos tem na OMS é ciência”

Filha de Olavo de Carvalho levou polícia a Queiroz

Heloisa de Carvalho diz que fez investigação particular

Gabriela Doria - 18/06/2020 21h41 | atualizado em 18/06/2020 22h17

Heloisa de Carvalho comemorou prisão de Fabrício Queiroz Foto: Reprodução

A filha do filósofo Olavo de Carvalho, a artesã Heloisa de Carvalho, revelou que foi a autora da denúncia que levou a polícia ao paradeiro de Fabrício Queiroz. O ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi preso em um sítio na cidade de Atibaia, em São Paulo, nesta quinta-feira (18).

Heloisa contou ao portal Metrópoles que recebeu há cerca de um ano a informação sobre onde Queiroz estava. Desde então, ela, que mora em Atibaia, e um amigo começaram uma investigação própria sobre o paradeiro do ex-policial militar.

Segundo a artesã, um amigo contou a ela que o ex-assessor estava morado no bairro Jardim dos Pinheiros. Este mesmo amigo revelou ainda que Queiroz estava abrigado em um escritório de advocacia, causando estranhamento em Heloisa, que sabia que o bairro era praticamente residencial.

A partir daí, Heloisa começou a pesquisar sobre escritórios de advocacia na região. Ela chegou ao endereço de Frederick Wassef após uma busca nos registros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Wassef defende Flávio Bolsonaro no inquérito que investiga um esquema de rachadinha de quando Flávio era deputado estadual no Rio de Janeiro. Queiroz foi preso nesta mesma investigação.

– Quando vi, por imagens de satélite, percebi que a casa era de muro colado com a casa de uma amiga minha que faleceu. Eu cuido dessa casa. Eu estranhei por nunca ter visto movimento na casa vizinha. Eu cuido da casa dessa minha amiga e fiquei muito tempo fazendo bazar nessa casa e não tinha movimento. Soube dos dois caseiros que moravam lá – afirmou.

Heloisa contou que por duas vezes inventou motivos para bater na porta do escritório de Wassef, onde Queiroz estava.

– Fui lá para falar de uma cerca que eu ia fazer na casa da minha amiga e achei o comportamento dos caseiros muito estranho – lembra.

Ela conta que as investigações pararam quando ela quebrou a perna.

– Eu fiquei sem carro, quebrei a perna e parei de investigar . Só que meu amigo tomou a decisão de investigar e ele denunciou para o MP. Ele fez a denúncia em meu nome e no dele e acho que foi assim que acabaram chegando lá – afirmou.

Agora, com a prisão do ex-assessor, Heloisa comemora o resultado de seu “trabalho”.

– Estou muito feliz. Meu amigo trouxe duas caixas de suco de laranja para a gente comemorar. Eu sei que foi investigação minha. Falei para tanta gente e ninguém acreditou em mim. Agora, estou em êxtase – revelou, comemorando a prisão de Queiroz.

Por medo de represálias, Heloisa afirma que está andando com seguranças particulares.

Leia também1 Queiroz é preso no interior de SP durante operação policial
2 Jair Bolsonaro diz que prisão de Queiroz foi "espetaculosa"
3 Advogado cita ameaças e pedirá liberdade de Queiroz
4 Ratinho denuncia imprensa: "Querem derrubar Bolsonaro"
5 "Nunca houve uma vírgula contra mim", afirma Flávio

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.