Leia também:
X Internet intensifica boicote com #EuNaoComproNatura

Damares revela que encontrou duas vítimas de seu abusador

Ministra também falou sobre a existência de um segundo agressor

Gabriela Doria - 28/07/2020 22h47 | atualizado em 29/07/2020 07h39

Ministra Damares revelou detalhes sobre os abusos sexuais que sofreu Foto: PR/Anderson Riedel

A ministra dos Direitos Humanos Damares Alves revelou, em conversa com Roberto Cabrini, para o Conexão Repórter, que já encontrou, por acaso, duas mulheres que foram abusadas pelo mesmo homem que a agrediu sexualmente quando ela tinha apenas 6 anos. Ela diz que as vítimas tinham o mesmo perfil que o seu na época dos abusos.

– Por algumas vezes eu citei o nome dele em palestras e por duas ocasiões diferentes, em cidades diferentes, eu encontrei duas vítimas dele. Por incrível que pareça, elas também eram filhas de pastores e tinham a minha idade. Eu fico imaginando quantas vítimas esse homem fez ao longo da vida. O abusador não abusa de uma única criança, tenham certeza disso – alerta a ministra.

Damares também revelou que tem interesse em encontrar o homem que a abusou, “sem intenção de vingança”. Ela revelou também que existe um segundo agressor, com quem ela teve contato pouco mais de 1 ano depois que o primeiro.

– Já tentei fazer pesquisas para saber se ela está vivo, gostaria de ter esse encontro com ele. Não tem vingança, no meu caso já prescreveu. Desse segundo abusador, que era seminarista, eu fico refém porque na minha cabecinha eu pensava assim: “o primeiro contou pro segundo, e agora eu fico refém do segundo”. […] Eles eram amigos e ficavam no mesmo alojamento, então eu não sabia até que ponto um contava para o outro. Eu tive dois abusadores, mas quem concretizou o abuso de verdade e foi às vias de fato foi um só, [o primeiro]. O abuso não é só penetração, tem crianças que foram abusadas, mas não houve a conjunção carnal. – observou.

A ministra diz ainda que está escrevendo um livro em que tenta esclarecer o que acontece com as crianças para elas se manterem em silêncio diante do abuso.

– Estou escrevendo um livro sobre o modus operandi do abusador. Eu quero entender essa forma de silenciar a criança. A gente fala tanto para que a criança denuncie, então porque ela continua em silêncio? Eu quero escrever sobre isso e entender essa dinâmica. E é só por esse motivo que eu gostaria de ter esse encontro com ele [seu abusador].

Leia também1 LGBTs pressionam e banco fecha conta de entidade cristã
2 Mãe denuncia pedófilo após proposta perturbadora
3 Damares anuncia reforço nas ações de combate à pedofilia
4 Pedofilia: Delegado "passou mal" com material apreendido
5 "Criança tem que ser vigiada", diz psicóloga sobre pedofilia

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.