Leia também:
X Vídeo: Deputado xinga Arthur Lira durante sessão na Câmara

Damares condena legalização dos jogos de azar no Brasil

Câmara dos Deputado criou grupo de trabalho para avaliar a proposta

Gabriela Doria - 16/09/2021 14h17 | atualizado em 16/09/2021 14h38

Ministra Damares Alves se manifestou contra a proposta de legalização dos jogos de azar Foto: MMFDH/Willian Meira

A ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, manifestou-se na última quarta-feira (15) sobre a tramitação do projeto de lei que legaliza e regulamenta os jogos de azar no Brasil. O tema será debatido por um grupo de trabalho da Câmara dos Deputados.

Segundo Damares, caso seja acionada para emitir um parecer sobre a proposta, a pasta de Direitos Humanos irá se posicionar contra a aprovação da lei.

– Nós temos movimentos para liberar o jogo de azar. O brasileiro já tem azar demais na vida e agora querem permitir que ele pague para ter azar. Todos sabem [da] minha posição contra a legalização dos jogos de azar – criticou a ministra.

Para Damares, a legalização dos jogos de azar pode facilitar a prática da corrupção. Ainda segundo ela, há outros setores que demandam investimentos neste momento.

– É claro que vão argumentar que os jogos de azar poderão gerar empregos e girar a economia. Mas quero lembrar que temos outros setores para investir que vão gerar empregos, como o setor do turismo. Se o Ministério dos Direitos Humanos for provocado para emitir parecer, com certeza nos manifestaremos contrários à aprovação da matéria – afirmou.

Leia também1 Lira cria grupo para votar a legalização de jogos de azar
2 Vídeo: Deputado xinga Arthur Lira durante sessão na Câmara
3 CPI dá 48h para Saúde explicar suspensão de vacina para jovens
4 Senado espera que Mendonça desista do STF, diz colunista
5 STF segue TSE e irá investigar atos de 7 de setembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.