Leia também:
X Tarcísio escolhe capitão da PM como secretário da Segurança

Covid: Equipe de Lula diz que há risco iminente de nova onda

O Ministério da Saúde afirma que 69 milhões de brasileiros não tomaram a dose de reforço

Leiliane Lopes - 25/11/2022 18h58 | atualizado em 25/11/2022 19h04

Senador Humberto Costa Foto: Reprodução

Durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (25), o senador Humberto Costa (PT-PE) declarou que existe um risco iminente de uma nova onda de Covid-19 no Brasil pela falta de vacinação.

O petista foi escolhido para integrar o grupo de Saúde da equipe de transição de governo e se mostrou preocupado pela baixa adesão da população brasileira com as doses de reforço.

– A pandemia não acabou. E nós estamos vivenciando, na nossa avaliação e na avaliação de alguns cientistas que estão fazendo estudos epidemiológicos, o início de uma possível nova onda. Estamos perto de 690 mil mortes – declarou.

Segundo Costa, é necessário que o governo federal reforce a vacinação contra a Covid para impedir que isso aconteça.

– E uma preocupação que nós temos é com a vacinação. A vacinação está muito aquém daquilo que seria desejado para todas as faixas etárias – afirmou.

De acordo com o Ministério da Saúde, 69 milhões de brasileiros ainda não voltaram aos postos para receber a primeira dose de reforço da vacina contra a Covid-19.

Já 32,8 milhões de pessoas poderiam ter recebido a segunda dose de reforço contra a doença, mas ainda não se vacinaram.

O Governo Federal mantém 38 mil postos de vacinação em todo o país.

Leia também1 Bancada Evangélica emite nota de repúdio contra Lula
2 "Insegurança": Equipe de Lula fala sobre baixa vacinação
3 Barroso: "Não adianta apelar para quartéis ou extraterrestres"
4 Moraes nega transferir Roberto Jefferson para hospital
5 Barros diz que multa de R$ 22 milhões foi "gracinha" de Moraes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.