Leia também:
X Colunista da Folha: “Nenhum policial morto” em operação

Coronel relaciona decisão do STF à migração de bandidos para RJ

Secretário da PM afirmou que limitar operações nas favelas durante a pandemia pode ter acentuado a criminalidade na região

Pleno.News - 25/05/2022 12h48 | atualizado em 25/05/2022 14h03

Polícia militar do Rio de Janeiro Foto: EFE/ Andre Coelho

O coronel e secretário da Polícia Militar, Luiz Henrique Pires, afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de restringir as operações nas favelas em meio à pandemia da Covid-19 pode ter contribuído para que criminosos de outras regiões do país migrassem para as comunidades do Rio de Janeiro. A declaração ocorreu durante entrevista coletiva nesta terça-feira (24).

A Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão atuando em operação conjunta para capturar parte desses bandidos, que vieram do Pará, Amazonas, Alagoas, Bahia, Ceará e Rio Grande do Norte e estão escondidos na Vila Cruzeiro. Também há chefes de outras favelas do Rio de Janeiro, como do Jacarezinho, Salgueiro, Mangueira, Providência. Até o momento, a ação, iniciada na terça, resultou em ao menos 21 mortos.

– A gente começa a perceber essa movimentação, essa tendência de ligação com o Rio de Janeiro a partir da decisão do STF. Isso vem se acentuando nos últimos meses e essa tendência, esses esconderijos nas nossas comunidades são fruto da decisão do STF. A gente está estudando isso, mas provavelmente é fruto dessa decisão que limitou as ações das forças policiais do estado na comunidade – declarou Pires.

A decisão do STF ocorreu em junho de 2020 e visava fortalecer o isolamento social na região. A medida permitia operações apenas em “hipóteses absolutamente excepcionais”. Nesses casos, seria necessário justificativas por escrito e comunicação com o Ministério Público.

De acordo com a polícia, a ação desta semana, que reúne 80 agentes, teve início de forma emergencial, após as autoridades serem informadas de que o Comando Vermelho deslocaria 50 criminosos para reforçar o tráfico na Rocinha.

– A intenção era que essa operação fosse feita fora da comunidade. O grupo estaria indo para outra região, da Rocinha. De forma emergencial, tivemos que iniciar a operação com autorização do Ministério Público. O objetivo era fazer a prisão desses homens em flagrante – acrescentou o coronel.

Leia também1 Operação no RJ deixa 25 mortos; PM diz que 15 são criminosos
2 Confira quem são os mortos em operação no Rio de Janeiro
3 Bolsonaro parabeniza policiais por operação no Rio de Janeiro
4 Cidades de São Paulo têm alta de roubos maior que a capital
5 Aluna dá remédio tarja preta e colegas ficam intoxicadas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.