Leia também:
X DEIC investigará ofensas contra Michelle Bolsonaro na internet

Zambelli elogia ação contra exploração ilegal de diamante

Na Operação Crassa, agentes da PF cumpriram 53 mandados de busca e apreensão, em 6 estados e no DF

Ana Luiza Menezes - 24/09/2020 19h03 | atualizado em 24/09/2020 19h22

Deputada federal, Carla Zambelli Foto: Câmara dos Deputados/Pablo Valadares

A deputada federal Carla Zambelli usou as redes sociais para destacar o trabalho da Polícia Federal, que fez uma operação contra a exploração ilegal de diamante em terra indígena. A ação da PF aconteceu nesta quinta-feira (24), com mandados de busca em sete estados e no Distrito Federal.

– A Polícia Federal desarticulou hoje uma quadrilha de exploração ilegal de diamantes em terras indígenas de Rondônia que movimentava R$ 100 milhões/mês. Na Operação Crassa, 150 policiais cumpriram 53 mandados de busca e apreensão, em seis estados mais o DF. O trabalho segue – escreveu a parlamentar.

De acordo com informações da Agência Brasil, a operação da PF tem o intuito de combater a venda de diamantes extraídos ilegalmente da Terra Indígena Roosevelt, na divisa entre Rondônia e Mato Grosso.

Cerca de 150 agentes participaram da Operação Crassa para cumprir os mandados de busca e apreensão expedidos pela 3ª Vara Criminal da Subseção Judiciária de Rondônia. Os alvos dos mandados judiciais eram garimpeiros, lideranças indígenas, comerciantes e intermediadores. Segundo a PF, todos eles estão envolvidos em um esquema ilegal que a corporação investiga desde 2018, quando prendeu em flagrante três pessoas que transportavam cristais valiosos extraídos do interior da terra indígena.

Os mandados judiciais foram cumpridos em Rondônia, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Roraima e São Paulo e no Distrito Federal. A Justiça autorizou a apreensão de documentos e outros elementos probatórios em endereços residenciais e comerciais ligados aos investigados, bem como o sequestro de bens imóveis de alguns dos suspeitos.

Segundo a PF, os diamantes extraídos ilegalmente da reserva são vendidos, ilegalmente, no mercado nacional e também no exterior.

Leia também1 DEIC investigará ofensas contra Michelle Bolsonaro na internet
2 Cirurgia de Bolsonaro será mais simples e pouco invasiva, diz site
3 Bolsonaro sobre pandemia: 'Não fugi da minha responsabilidade'
4 Eduardo Bolsonaro teria sido um bom embaixador, diz chanceler
5 "Onde foi parar a checagem dos fatos?", questiona Zambelli

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.