Leia também:
X Moraes “barra” retorno das aulas presenciais no RN

Witzel sofre impeachment por corrupção e perde o cargo no Rio

Tribunal Especial Misto formou maioria para aprovar o impeachment do governador

Thamirys Andrade - 30/04/2021 16h54 | atualizado em 30/04/2021 17h52

Wilson Witzel é o primeiro governador a sofrer impeachment desde a redemocratização Foto: Agência Brasil/Fernando Frazão

Wilson Witzel (PSC) está definitivamente fora da gestão do estado do Rio de Janeiro. O Tribunal Especial Misto formou maioria para aprovar o impeachment do governador por corrupção na área da Saúde, em julgamento desta sexta-feira (30).

O voto do deputado estadual Alexandre Freitas (Novo) elevou o placar a 7 x 0, o que já corresponde aos dois terços necessários para a condenação de Witzel. Compõem a votação cinco desembargadores e cinco deputados estaduais.

Além de Freitas, votaram a favor da condenação o relator do caso José Carlos Maldonado de Carvalho, Waldeck Carneiro (PT) e os desembargadores Carlos Macedo (Republicanos), Fernando Foch, Chico Machado (PSD) e Teresa de Andrade Castro Neves.

Os membros do Tribunal ainda decidirão em uma outra votação por quanto tempo Witzel ficará inabilitado para as funções públicas. Ele já estava afastado de seu cargo como governador por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O governador em exercício Cláudio Castro (PSC) assumirá oficialmente o comando do estado e deve ser empossado neste sábado (1°).

O julgamento teve início por volta das 9h30 desta sexta-feira e pode ser acompanhado em tempo real pelo Youtube.

Leia também1 Witzel ainda visa ser presidente: "Fazer muito pelo Brasil"
2 Acompanhe ao vivo: Tribunal julga impeachment de Witzel
3 Witzel se diz perseguido: 'Meu processo teve dedo do Bolsonaro'
4 RJ: Relator vota a favor do impeachment de Wilson Witzel
5 Irmão de Wilson Witzel é preso em flagrante durante operação

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.