Leia também:
X Moro sai em defesa de Fachin e repudia “perseguição”

Vizinhos denunciam servidor do STF por festas clandestinas

Justiça proibiu realização de eventos em mansão em bairro nobre de Brasília

Gabriela Doria - 12/03/2021 16h03 | atualizado em 12/03/2021 16h43

Festas clandestinas eram promovidas por servidor do STF Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou que os produtores de eventos Rodrigo Antonello, Pedro Imbroisi e Henrique Puga estão proibidos de realizar festas de médio e grande porte em um casa de luxo do Lago Norte, bairro nobre de Brasília. A justiça argumenta que a produção dos eventos coloca em risco a segurança, a saúde e o sossego de vizinhos.

Rodrigo Antonello é servidor do Supremo Tribunal Federal (STF) e foi denunciado à Justiça por vizinhos incomodados com as constantes festas clandestinas em meio ao endurecimento das medidas de isolamento social impostas pelo governador Ibaneis Rocha. De acordo com vizinhos, um dos eventos produzidos durou mais de 12h e reuniu grande número de pessoas. Já um outro evento chegou a ser interditado pela fiscalização.

– Não se deve tolerar, notadamente em período de reconhecida excepcionalidade (pandemia), marcado por milhares de óbitos e situação de colapso do sistema de saúde, a realização de eventos de médio e grande porte, que, mesmo em situação de normalidade sanitária, seriam incompatíveis com a destinação residencial da área em que se acha encravado o imóvel – afirmou o magistrado na decisão.

Em caso de descumprimento, os réus estarão sujeitos à multa de R$ 20 mil.

Leia também1 Professora é investigada por outdoor com ataque a Bolsonaro
2 Após polêmica, MC Maylon 'casa' com ele mesmo no Rio
3 Bolsonaro faz grave alerta sobre as medidas de lockdown
4 Bolsonaro: "Está havendo abusos nessa política de fecha tudo"
5 Kátia Abreu defende Exército na rua para impor lockdown

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.