Leia também:
X Randolfe diz ter 27 assinaturas para abrir a CPI do MEC

Vídeo: Procurador é detido em hospital psiquiátrico

Homem passará pelo Palácio da Polícia na capital paulista, onde será cumprido o mandado de prisão

Gabriel Mansur - 23/06/2022 14h32

Procurador Demétrius é preso Foto: Arquivo pessoal/Polícia Civil

O procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, foi detido no hospital psiquiátrico Santa Mônica, na capital de São Paulo, nesta quinta-feira (23). A justiça havia determinado a detenção dele na quarta (22), por ter espancado a chefe Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39, durante expediente na Prefeitura de Registro (23).

A informação da polícia é que Demétrius havia se internado na clínica psiquiátrica após as agressões à procuradora. Em vídeo divulgado pela Polícia Civil, o homem aparece calmo e parece não apresentar resistência.

Agora, o procurador passará pelo Palácio da Polícia na capital paulista, onde será cumprido o mandado de prisão, depois pelo Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito, e então será conduzido a Registro, onde permanecerá preso.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), usou as redes sociais para informar a prisão.

– Que a Justiça faça a sua parte agora e use contra ele todo o peso da lei. Agressor de mulher vai para a cadeia aqui em SP. Denuncie sempre – escreveu no Twitter.

A polícia de Registro esteve na casa do agressor nesta quarta (22), no mesmo dia em que foi decretada a prisão, mas ele não havia sido encontrado, segundo informações obtidas pela TV Tribuna, afiliada da Globo. Na manhã desta quinta (23), inclusive, os policiais 1º DP do município estavam em campo atrás do procurador, que acabou sendo detido na capital paulista.

A prisão preventiva foi solicitada pelo delegado Daniel Vaz Rocha, que está responsável pelo caso. A autoridade policial apontou que o acusado “vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe perigo à vida delas”.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a investigação instaurada para apurar o caso reuniu fotos e vídeos da agressão, além de depoimento da procuradora-geral para fundamentar o pedido de prisão preventiva. Em entrevista, a procuradora disse: “Acho que ele é capaz de qualquer coisa”.

O delegado Fernando Carvalho Gregório, também do 1º Distrito Policial (DP) de Registro, onde o caso é investigado, alegou que o agressor foi liberado inicialmente por “falta de flagrante”. Macedo recebeu a liberação logo após a elaboração de um boletim de ocorrência (BO) no local.

Leia também1 Polícia prende procurador que agrediu a chefe em São Paulo
2 SP: Justiça decreta prisão do agressor de procuradora
3 Polícia pede prisão preventiva para agressor de procuradora
4 Agressor de procuradora é suspenso e fica sem salário
5 Procuradora é agredida por colega de trabalho, em Registro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.