Leia também:
X Deputada da oposição pede que Código Eleitoral seja reformado

Universidade de Oxford testa ivermectina contra a Covid-19

Na fase laboratorial, pesquisa indicou que medicamento resultou na redução da replicação do vírus, diz a instituição

Thamirys Andrade - 23/06/2021 12h51 | atualizado em 23/06/2021 13h44

Ivermectina é um fármaco usado no tratamento de vários tipos de infestações por parasitas Foto: Divulgação

A Universidade de Oxford anunciou nesta quarta-feira (23) que está testando a ivermectina como possível tratamento de combate à Covid-19 na recuperação de casos não graves. Batizada de “Principle”, a pesquisa é financiada pelo governo britânico.

Na fase laboratorial, a pesquisa indicou que o medicamento resultou na redução da replicação do vírus, diz a universidade. Um breve estudo piloto mostra que o antiparasitário poderia diminuir a carga viral e a duração dos sintomas em pacientes com quadros leves da doença.

Chris Butler, um dos líderes do Principle, afirma que o objetivo é esclarecer os eventuais benefícios e riscos relacionados à administração da ivermectina contra a Covid.

– Ao incluir a ivermectina em um estudo de grande escala como o Principle, esperamos gerar evidências robustas para determinar o quão eficiente o tratamento é contra a Covid-19 e se há benefícios ou prejuízos associados ao seu uso – explica.

Serão excluídas dos testes pessoas que possuam condições graves no fígado ou que tomem medicamentos que interajam com a ivermectina.

Testes anteriores envolvendo a ivermectina demonstraram resultados “inconclusivos”. A OMS se posiciona contrária à utilização do fármaco no tratamento à Covid-19.

A ivermectina é o sétimo medicamento a ser testado pelo Principle e está sendo investigada junto ao antiviral favipiravir. Em janeiro, o estudo concluiu que os antibióticos azitromicina e doxiciclina são ineficientes em estágios iniciais do vírus.

A Universidade de Oxford é a corresponsável pela vacina anticovid produzida pela farmacêutica AstraZeneca. No Brasil, o imunizante é fabricado e distribuído em parceria com a Fiocruz, no Rio de Janeiro.

Leia também1 Nova cepa do coronavírus é descoberta no Rio de Janeiro
2 Governo: Maiores de 18 anos serão vacinados até setembro
3 China defende prêmio Nobel para laboratório de Wuhan
4 Contra a Covid-19, Chile avalia 3ª dose e combinação de vacinas
5 Primeiro lote com 1,5 milhão de doses da Janssen chega ao Brasil

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.