Leia também:
X Em evento, Pazuello afirma que a ‘pandemia não acabou’

Testemunha diz que filha de Flordelis atirou em pastor

Simone dos Santos teria feito disparos de arma de fogo na genitália da vítima

Thamirys Andrade - 11/12/2020 15h58 | atualizado em 11/12/2020 16h09

Deputada federal Flordelis Foto: Câmara dos Deputados/Cleia Viana

Em acareação realizada nesta sexta-feira (11) em Niterói (RJ), uma ex-frequentadora da igreja de Flordelis dos Santos afirmou ter conhecimento de que a filha biológica da parlamentar, Simone dos Santos, também atirou no pastor Anderson do Carmo. De acordo com Vivian da Silva, Simone teria feitos disparos de arma de fogo na genitália da vítima. Até o momento, apenas Flávio dos Santos, outro filho biológico da deputada federal, tinha sido apontado pelo Ministério Público como o executor do pastor.

A testemunha afirma que tomou conhecimento da presença de outras pessoas na cena do crime por meio de Cristiana Rangel, esposa do pastor Carlos Ubiraci, detido por acusação de envolvimento no crime. Cristina e Carlos moravam na casa e são filhos afetivos do casal.

Vivian também confirmou a presença de outro dos filhos de Flordelis, André de Oliveira. Segundo ela, André teria sido o responsável por segurar a vítima para que Simone e Flávio atirassem. Até o momento, outros réus foram denunciados por participação, mas as investigações não tinham identificado relatos de outras pessoas na cena do crime.

– Ela [Cristiana] falou que foi algo que ela ouviu na casa [de Flordelis]. O André havia segurado o pastor Anderson para o Flávio e a Simone atirarem nele. E que a mãe dela [Flordelis] sabia de tudo, que não caía uma folha da árvore dentro de casa se a pastora Flor não soubesse. A Simone que havia atirado nas partes íntimas – relatou a testemunha.

Simone dos Santos e a mãe, Flordelis Foto: Reprodução

Cristiana foi ouvida e negou que tenha compartilhado qualquer informação sobre o crime com Vivian. Quando questionada pela juíza se havia sido ameaçada para não corroborar com o relato, Cristiana alegou:

– Não quero me manifestar porque eu não vi. Como vou falar uma coisa que não vi?

Após a negativa, Cristiana confirmou que na casa da deputada impera uma “lei do silêncio” e só pode ser dito o que a parlamentar autoriza.

Leia também1 Testemunha: Filhos adotivos de Flordelis sofriam maus-tratos
2 Filha de Flordelis vai para abrigo após denúncia de maus tratos
3 Flordelis fazia rituais em casa e é evangélica porque "dá dinheiro"
4 Seis pessoas são indiciadas pela morte de João Beto no Carrefour
5 Delegado é encontrado morto com tiro em sala de delegacia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.